Historia do Autorama Estrela 1.963 a 1.977 (terminado).

Avatar do usuário
Johnny Rook
Mensagens: 39
Registrado em: 22 Jul 2019 20:37

Historia do Autorama Estrela 1.963 a 1.977 (terminado).

Mensagem por Johnny Rook »

Imagem

A Estrela foi a maior fabricante de brinquedos da América latina e a segunda do mundo com 11.000 trabalhadores.

O primeiro dono da Estrela era um Espanhol, seu nome em realidade era Estrella, ela era dedicada a bonecas de pano e carros de madeira e os negócios muito bem não andavam, ele vendeu sua fábrica para um jovem imigrante alemão, no ano de 1.937.

Se diz que ele saiu por causa da ascensão de Adolf Hitler ao poder na Alemanha.

o seu novo proprietário a chamou pelo mesmo nome, mas em Português; Estrela continuou fazendo bonecos de pano, carros, caminhões e ônibus, para todos os tipos de mercados, diversificou sua produção e trouxe produtos de qualidade ao consumidor, até as caixas eram diferenciadas com algo de luxo.

Com a morte do Patriarca, sua esposa assumiu o comando do negócio por alguns anos, com bastante sucesso, isso e certo, eles tiveram um filho.

O filho estudou na Universidade de Administração de Empresas nos Estados Unidos, a comunidade alemã recebeu-o de braços abertos, estudou e trabalhou em um grande fabricante de brinquedos Norte-americano, seu dono era também era Alemão e ensinou-lhe a "alma" do negócio.

Estrela já fabricava bonecos da Walt Disney desde o início dos anos 50, além dos brinquedos de lata japoneses, a relação da Estrela com o brinquedo Norte-americano vem quase desde o início, o que foi bem sucedido no chão "Yankee" era trazido pela Estrela para o mercado nacional.

Apenas o trem em escala H.O. é que a Estrela chega em segundo lugar ao mercado, desta vez ATMA (de origem Argentina), está na frente e oferece um excelente produto.

Ele termina seus estudos e retorna ao Brasil com a missão de substituir sua mãe.

Certamente, com uma boa visão de negócios, veio com várias coisas interessantes e uma delas foi, uma caixa de Slot.

Eles viram o potencial, assinando uma colaboração com o gringo de A.C. Gilbert, primeiro importando e depois fabricando, 2 circuitos um em '0' e outro em '8', com quatro Corvettes em cores diferentes, Corvettes de 61 '(Pré-Stinray).

1963

A.C. Gilbert e Estrela.

Este ano o catálogo Estrela estréia no Slot.

É difícil adivinhar como começou, mas a loja de modelos Mobral vendeu conjuntos de A.C. Gilbert, que provavelmente foram importados pela Estrela e deram à loja de São Paulo o exclusivo desse novo Toy Hobby, seria um produto muito caro e bastante seleto, estaria inalcançável para os 98% dos brasileiros.

Estrela estava preparando seu próprio lançamento.

Séries A.C. Gilbert, em caixas, fabricadas pela Estrela.

Imagem

Depois de muitas voltas parece que esse catálogo é de Natal de 63 ', ele já vinha com litografias de marca Brasileira.

Parece ser que a Estrela lançou seu Modelo Ano em abril, imagino que os produtos mais caros foram apresentados para pedidos de Natal e fabricados sob demanda com quase nenhum estoque, em Natal de 1.963 foi presentado ao publico e foi um sucesso imediato.

Produto que de origem (E.U.A) não estava pensado para competição, certamente foi oferecido nos EUA como uma alternativa econômica e mais voltada para crianças.

Fórmula da foto leva em dorsal-Nº7, dorsal que começou a tomar no Brasil um jovem piloto chamado Emerson Fittipaldi.

Imagem

Somente o produto é igual ao original, os conjuntos Estrela possuem suas próprias, litografias e caixas.

Imagem

Este é um conjunto de 63 ', Corvettes em pista de "8".

A caixa do transformador não mudou suas formas durante anos.

Catálogo extenso e detalhado não deixa dúvidas de montagem.

Por não colocar tudo, uma amostra do Circuito mais interessante, com 4 Corvettes de 61 '.

Imagem

Colunas da ponte.

Imagem

Material de sobra para dar firmeza ao conjunto.

Abaixo podemos ver o catalogo com o nome AUTO-RAMA, escrito da mesma forma que do conjunto yankee A.C. Gilbert, com os anos as duas palavras se unirão e formarão a palavra autorama, sinônimo de Slot no Brasil.

Imagem

Este catálogo é de 63 ', para colocar A.C. Gilbert ao pé dele e apenas Corvettes nas fotos.

Imagem

Ele ainda coloca o nome do fabricante americano, que tem a patente.

Imagem

A Estrela lança seu Auto-Rama para as lojas nacionais de brinquedos, o mercado já possuía produtos Slot, mas só importados (várias marcas), a preço de ouro e com certeza, com poucas peças para substituir.

Havia lojas dedicadas ao Slot antes de chegar a Estrela, uma delas é o Mobral (não confundir com o MOBRAL, plano de "analfabetismo" do regime militar).

Por aqueles anos e por mais de uma década, as tripulações de companhias aéreas aproveitaram suas posições para passar pela alfândega o que quisessem.

Slot cars deixavam dinheiro e logico que se contrabandeasse.

1/43

1961 Chevrolet Corvette.

Imagem

Este carro para o menos conhecedores do Corvette, leva ao erro de pensar que é do 58' pela frente que é praticamente a mesma que o modelo daquele ano.

A diferença na parte traseira é visível de lado.

Imagem

O modelo de 1.963 vai aproveitar uma traseira semelhante, será o famoso Stingray.

Os carros não são realmente 1/32 da escala, são um pouco menor perto de 1/43.

Eles têm todos os detalhes do corpo original, feitos de plástico de qualidade e de bom grossor.

Imagem

Você olha o logo do Auto-Rama.

Imagem

Parecia um pouco rude, rodas estreitas e direcionais lhes davam uma aparência de brinquedo, uma pena que ele não montasse o pára-brisa, que montaram algumas versões do A.C. Gilbert.

Sem escova não tinha as trenças e só com contatos de Latão e uma quilha para a pista, era tudo o que segurava o Corvette na pista.

Os carros vistos abaixo não são o que se espera de um carro de Slot de competição.

Imagem

Sistema de transmissão do tipo rosca sem fim, tipico dos trens elétricos, rodas estreitas e "mixurucas", prometiam pouco em termos de desempenho.

Imagem

Os decalques são de papel.

Em princípio, o motor era de 5-polos de procedência japonesa, o sistema de transmissão também era usado em outros brinquedos com movimento.

Imagem

Chassis idêntico ao de A.C. Gilbert, foi fabricado em duas cores, preto e branco, sendo este último com melhor qualidade no plastico.

Comercializado em 4 cores, Amarelo, Verde, Vermelho e Azul, o Autorama da Estrela começou andar.

Imagem

Essas cores acompanharam os carros da Estrela durante muitos anos.

Imagem

Tem seus espelhos e suas cobertas de co-piloto.

A propósito, a palavra autorama virou sinônimo de Slot, o mesmo aconteceu na Espanha com a palavra scalextric, para se referir ao Slot.

A.C. Gilbert tirou essa palavra dos grandes salões de carros fora de serie nos EUA, entre outros estavam Autorama e Motorama, shows de carros, carros-conceito, designs futuristas, com o mais recente em avanços técnicos.

A possibilidade de decorar o circuito é bastante grande, é vendida no set ou solta.

Imagem

Imagem

Esses elementos de decoração, são feitos pela Estrela, mas em madeira, A.C. Gilbert, também tinhas os seus, mas acreditem de qualidade inferior, a arquibancada por exemplo era de papelão na empresa gringa, os bonecos colocados pela Estrela são de tamanho certo, estão muito próximos da 1/43 (o mesmo que os carros), esses chapéus Mexicanos são demais, parecem que são do brinquedo Forte-Apache (tive um). :lol:

Imagem

Peças para manutenção de automóveis também são oferecidas.

Podemos ver o contador de voltas oferecido pela Estrela, e o mesmo de A.C. Gilbert, mas em cores diferentes, são as tipicas cores utilizadas pela Estrela por aqueles anos, tenho certeza de que foi também fabricado aqui, o estilo (desenho), e bastante tipico dos edifícios (postos de gasolina, lanchonete, pedágios e etc.) usados nas estradas yankees por aqueles anos.

Imagem

O motor torna-se nacional, é fabricado pela casa de Oxford e foi apelidado como "jacaré" ;) , este fabricante que começou a operar em 1958, provavelmente já vendendo motores elétricos para outros produtos Estrela e fabricantes de brinquedos similares, foi dedicado, entre outras coisas, a produzir transistores.

Imagem

Motor original de 5 pólos da Oxford (foto de rede).

Imagem

Aceleradores (controles), são fabricados pela Estrela e cópias do .A.C Gilbert.

Olhe para o marcador de velocidade, gravado.

Os primeiros transformadores.

Imagem

Curiosamente, esses transformadores trabalham em 14 volts na saída e na entrada de 115 volts.

1964

Estrela, A.C. Gilbert e Scalextric.

Estrela apresenta seu catálogo para 64 ', com um produto yankee e um Inglês.

Imagem

Na litografia inferior com o "8" simples, se pode ver dois Lotus-16, em azul e vermelho.

Imagem

No catálogo desse ano, é apresentado um carro da casa Scalextric, um Lotus-16 (pouco sucesso em corridas reais), lançado em 1960 pela marca inglesa de Slot.

Carro completo ou só a carroceria é oferecida.

Tenho serias duvidas que algum de esses carros chegassem ao comercio, alguma coisa aconteceu y ele não foi oferecido, pelo menos da maneira normal.

De qualquer forma, seria o primeiro Estrela em 1/32 para o Slot.

Imagem

Parece estranho fazer um catálogo com o modelo e no final não vender.

Autêntico carro Scalextric o da foto (baixado da rede).

Naquele ano, a coisa permanece sem novidades, parece que a casa Scalextric deve ter colocado algum tipo de desacordo e não havia notícias.

Curiosamente eles chamam de Carro de Corrida, seria que ele viria de 63 '?

Imagem

A Estrela expande o produto e faz o seu primeiro carro que eles chamam de "Carro de Corrida", parece mais uma Fórmula Júnior, um produto mais básico que as versões anteriores, talvez focado como uma alternativa mais barata.

Na vida real a Fórmula-Júnior foi criada em 1958 buscando criar uma fórmula de baixo custo, para acessar as corridas, com pequenos motores de 4 cilindros e um peso reduzido teve um desempenho muito bom e vários fabricantes se inscreveram para a nova Fórmula .

Imagem

O carro da Estrela parece muito com um Stanguellini.

A Fórmula Júnior, alguns anos depois, se tornaria em Fórmula 3.

Imagem

A cabeça do piloto é do fabricante inglês Scalextric, assim como o corpo é idêntico a outros modelos de Scalextric, Jaguar-D e Ferrari-156 por exemplo, algo me diz que Estrela já tinha assinado para produzir vários carros da marca inglesa.

Imagem

Ele também poderia passar pelos carros de corrida de terra conhecido como carro anão no pais do Pato Donald.

Imagem

Montados com motores Miller de 4 cilindros (havia mais categorias), eles tinham 300 a 400 h.p. para 350-KG

Abaixando em altura, vários acessórios de carroceria, alguns retoques aqui e ali, rodas mas acordes, um pouco de pintura, acompanhada de decalques bons, um maquetista faria o carro de Estrela, um anão bom.

Imagem

O interior do set e da mesma forma que o set do Corvette, dispondo das mesmas cores, também tiveram as mesmas rodas no começo os dois.

Não acho que tenha muito espaço no mercado brasileiro, por causa de suas formas estranhas como carro de corrida.

A escala pode ser desta vez em 1/32 ou possivelmente maior.

Realmente aquele ano foi importante para a Estrela no lançamento do seu novo produto, em Julho (ferias escolares) realizou o seu 1º Festival Aberto de Auto-Rama-Estrela, os pilotos se podiam inscrever em lojas que vendiam produtos Estrela, o carro de corrida é o Corvette 61 ', lançado por ela em 1.963, por essas datas os produtos do catalogo de 64´, 65´ ainda não estavam nas lojas disponíveis, o único modelo era o Corvette.

Imagem

Feito apenas em São Paulo parece que eles atingiram 1.000 inscritos, muita gente inscrita não se apresentou, entre os que si fizeram estava um jovem Emerson Fittipaldi (já correndo no Kart), terminou em 3º lugar.

Corrida montada nas pistas do AC Gilbert com quatro pistas, com o carro principal da marca o Corvette 61 ', sem trancinhas e guia fixa, tinha uma especie de patins (2), que fazia contato na pista, era o Slot em sua forma mas pura, mas a preparação deles estava presente, com eixos de aço de melhor qualidade, rodas de Alumínio, pneus de borracha e acurtando a relação, com peças que vinham de brinquedos de diferentes procedências.

Imagem

Um modelo com a preparação da época.

Estrela começará a promover o Slot no Brasil de uma forma mais ou menos oficial, patrocinando corridas em pistas de madeira de sua propriedade.


1965.

Estrela, A.C. Gilbert, Scalextric e Revell.

Repete os conjuntos de A.C. Gilbert certamente com o Fórmula Júnior como modelo econômico.

Este ano a Estrela da um grande salto para o mundo do Slot mais especializado, a inversão sera quase exclusivamente nos modelos, introduzindo 2 chassis novos, duas transmissões de Nylon novas, pneus de borracha com mais qualidade, uma guia móvel com trancinhas e vários modelos novos (3), um deles e de produção própria.

Ela produz outro carro em exclusiva mundial, faz transmissões, eixos, rodas e etc. da marca Scalextric, e também fabrica, chassis, guia, transmissões e rodas bastante similares da marca Revell, Estrela começa a comercializar carros mais sofisticados para competições de clubes.

A única foto que tenho do Circuito de 65 ', é a seguinte y esta claro que e uma A.C. Gilbert, faixas escurecidas e mais alguns detalhes, até os controles são da casa gringa (A.C. Gilbert).

Imagem

Willys (Gran-Turismo) em pista como grande novidade do Autorama.

Se apresenta 2 referencias em cada circuito, uma 110V. e outra de 220V.

O Ferrari-156 (F-1) se anuncia no catálogo 65’ junto com o Jaguar-D (Sport), olhem no detalhe do teto verde da Berlineta.

Peças de reserva continuam a ser oferecidas para a 1ª Série do Autorama Estrela.

Circuito de 4 pistas com dois Berlinetas e dois Corvettes, ainda se chama “Pista-Dupla”, sendo o Willys-Interlagos pequeno e em 1/32 tem menos diferença com o Corvette que é 1/43 e seria mais combinado em peso .

Oferece 3 conjuntos de pneus diferentes, 2 chassis e 2 transmissões.

Difícil de encontrar decalques da época, melhor do que muitos decalques que usamos hoje, essas chamas eram o máximo.

Imagem

Eles se encaixam bem, tinham tinta de qualidade (eles não eram transparentes), eles eram baratos para comprar e resistente a choques.

Estrela ainda está vendendo todos os tipos de peças soltas para a manutenção de carros, bem como acessórios para decorar os circuitos, da primeira serie.

Imagem

O novo chassis tipo caixa é o desenvolvido pela Estrela, os dentes são usados para a distância do eixo dianteiro e é preto ou branco, ele tem duas guias de pivô na frente.

Imagem

O chassis e composto por 5 peças e vem todas unidas de fabrica, Estrela usou a técnica de dentes por muitos anos para segurar os eixos dianteiros em alguns modelos.

Transmissão da marca inglesa, os pneus foram vendidos avulsos também, inclusive em sacos de uma dúzia.

Imagem

Pneus comuns a todos os carros, da serie STD.

Imagem

Bastante melhor que nos produtos dos anos 63´e 64´, buchas de Bronze e a coroa de Nylon de origem Scalextric.

Pneus comuns a todos os carros.

A Estrela tem o 2º carro produzido por ela (1º Formula Junior) e fabrica o seu primeiro chassis com desenho próprio.

O Willys-Interlagos Berlineta, o verdadeiro carro é o resultado de um acordo entre Renault, Alpine e Willys.

A empresa Yankee (Willys) estava passando um mau momento na sua terra, muito pelo contrário ocorre no Brasil, consegue boas vendas com sua linha Jeep e irmãos para o interior do país destinado para o campo, bem como para o serviço público e as Forças Armadas, quer se expandir no mercado de classe média e criar o esportivo.

Em 1959 assinou um acordo para fabricar a gama Dauphine (3 modelos) incluindo o Gordini, a intenção é retirar vendas ao Volkswagen 1.200 que começa a ser um sucesso, depois trazem um R8-Gordini e um A-110, ambos para circuitos.

O Berlineta não é outro carro que um Alpine A-108, em suas três versões Berlineta, Coupe e Cabriolet, o carro original foi bem fabricado.

Lançado em 1961.

Imagem

O da Estrela não seria menos, o carro estava bem feito.

Estrela também tinha um Interlagos a pedal ou de motor elétrico do Interlagos Cabriolet.

Imagem

Antes de saber que o Autorama existia, eu estava apaixonado por essa beleza, ele deve estar entre 64 'e 65', pedi um vermelho por 2 anos, Papai Noel não cumpriu sua parte do negócio. :x

Foi durante algum tempo o produto mais caro do catálogo Estrela.

Voltando a nossa historia, ele faz seu segundo carro com chassi, transmissão, eixos e rodas, junto com a carroceria.

Ele combinou cores diferentes teto e carroceria.

Imagem

Este é o primeiro chassi preto, olhe para as rodas do carro de caixa.

Imagem

O chassi parece de plástico de baixa qualidade, dois "pivôs de guia", pneus finos, boa transmissão Scalextric e rolamentos traseiros de bronze.

Na foto abaixo um azul claro, teto e piloto removível, corpo de piloto do A.C. Gilbert.

Imagem

Este carrega o chassi branco, pode-se dizer que é uma segunda série muito melhor que a primeira.

Essa cor conhecida como Azul-Calcinha, parece atraente. :o

Imagem

O Interlagos foi o primeiro carro esportivo fabricado no Brasil.

Imagem

Em 64 ', o carro da Equipe-Willys, ganhou os 500-KM. de Porto Alegre, 500 km. Interlagos e as 200 milhas de Montevidéu.

Naqueles anos as corridas de resistência dominaram o cenário brasileiro e sul-americano, por isso o farol auxiliar no meio (parece um Ciclope).

Estrela reproduziu a cor do carro de corrida 1964 da Equipe-Willys, mesmo se você olhar para os carros da Estrela, eles têm um farol central simulado como o do carro original.

Imagem

Rodas de desenho novo.

O carro real colheu vitórias contra carros de maior cilindrada.

Da Equipe-Willys, saíram pilotos autênticos, treinadores e líderes de equipe, que continuaram fazendo parte da História do Automobilismo no Brasil.

Imagem

Pilotos como Emerson Fittipaldi, Wilson Fittipaldi Jr. e José Carlos Pace, entre outros, dominaram os circuitos com o carro real.

Imagem

Aqui na versão amarela com assento e interior vermelho o carro do lado é completamente liso sem detalhes vem com decalques fazendo os relevos e buracos.

Rodas de plástico e pneus finos.

Imagem

O resto era comum a outros carros.

O plástico do chassis parece de melhor qualidade que o preto da primeira série, já tem uma guia mais o menos decente.

Imagem

O corpo apesar de básico, vinha com decalques que faziam os relevos laterais.

As cores são, azul claro, azul-alpino, vermelho, amarelo com faixa central verde, amarelo, branco e talvez verde (existia um teto verde), telhado transparente como um cabriolé falso, então as versões multiplicadas mudando o teto de uma cor e o corpo de outro, um bom truque, para montar corridas.

Imagem

Também foi vendido com o teto transparente, fazendo um falso cabriolet.

Imagem

Apesar de que no ano de 1964 Estrela anunciou um carros da empresa inglesa Scalextric, parece ser que nunca chegou a produzir y vender, mas no ano de 1965 sim e desembarca os ingleses no Slot do Brasil das mãos de Autorama Estrela.

Jaguar-D.

Imagem

Belo carro inglês.

Comercializado em cores, amarelo, verde, azul, branco e vermelho.

Imagem

Amarelo.

Imagem

Carro originalmente feito pela casa Scalextric, traz sua boa transmissão.

A Estrela fabrica e melhora com o passar do tempo.

Imagem

A foto mostra o modelo em uma cor fosca, este chassi será das primeiras versões.

Rodas em plastico e de raios , também teve as rodas e calotas do Corvette, pneus mais grossos do que o Berlineta.

Para complicar mais o numero de versões, parece que houve uma versão com o chassi Branco e as rodas de Interlagos.

Imagem

Existe uma versão em branco.

Desta vez entramos na Formula-1 com Scalextric, Ferrari-156 Shark-Nose.

Apresentada pela Ferrari para os novos regulamentos da F1 em 1961, é a primeira Ferrari com motor traseiro, com Phil Hill vencendo o campeonato de pilotos e a Ferrari o campeonato de construtores.

Ele foi o primeiro americano a vencer a Copa do Mundo de F1.

Imagem

Abaixo você pode ver as diferentes cores que a Ferrari da Estrela foi feita, existem diferentes versões de diferentes anos que podem ser identificadas pelos pneus dianteiros e traseiros e as calotas, as vermelhas, amarelas e brancas pintaram a tampa do tanque e o interior do cockpit, em azul.

Imagem

Curiosamente, eles dão a ele rodas de Interlagos, essa e a versão básica.

Imagem

Este é um dos primeiros, ainda carrega as rodas de plástico que são as mesmas do Interlagos.

Os Formula Junior ganham novas rodas e pneus.

Eles são o mesmo que Willys, mas sem cromação.

Imagem

Eu teria um desses, com alguns ajustes.

Imagem

O Corvette ganha um chassi de caixa e, finalmente, uma transmissão de qualidade.

Imagem

Você verá um chassi com uma guia, esta versão é a segunda com este tipo de chassi.

Ganha rodas e pneus com mais presença e uma aderência superior.

Imagem

Guia é fixa, tem trancinhas para melhorar o contato em pista, as trancinhas só foram ofertadas a partir de 1.965.
O carro ganhou em desempenho e aparência, só parece um A.C. Gilbert por fora.

Imagem

Eu acho que é a versão mais atrativa, nos 3 anos em que venderam esse modelo.

Com alguns ajustes (pára-brisas a.C. Gilbert Corvette), juntamente com detalhes de pintura, ele estaria na minha coleção.

Imagem

A estrutura do pára-brisa é metálica em estes modelos e pode atuar como um arco de segurança.

A primeira versão ainda está vendendo solta.

Imagem

Os kits, Estrela vende uma série de kits com melhor performance para as equipes de corrida (Clubes), eles são melhor acabados na qualidade de plásticos, bem como em detalhes de pintura.

Produzindo um novo chassi Revell de alumínio extensível, o Motor-Jacaré transporta eixos roscados e de qualidade, rodas de alumínio, com as calotas cromadas do Corvette insertadas, bons pneus, e transmissão de origem Revell, possui guia de Nylon.

Imagem

Varias empresas de Slot no mercado gringo utilizaram esse chassis, inclusive quando adotaram o novo motor 16D de Mabuchi, normalmente os fabricantes contratavam empresas de engenharia para desenvolver os seus produtos e estas com pequenas modificações vendiam praticamente o mesmo produto para a competência.

Imagem

Penso que por ser de Alumínio as probabilidades de empenar ele nas corridas deveria ser grande.

Os modelos de competição que são vendidos em kits, para corridas de clubes.

O Estrela Jaguar-D é realmente bonito.

Imagem

O piloto deste modelo vem todo pintado, eu tenho um branco original assim.

Imagem

As calotas são as mesmas usadas nos primeiros Corvettes, mas agora são cromados, super detalhados e pilotos pintados à mão.

Imagem

As cores de Estrela eram sempre azul, amarelo, verde, vermelho e branco.

O chassis de alumínio combina com ele muito bem, certamente o desempenho melhorou muito.

Imagem

Coroa de Nylon não é mais Scalextric, certamente serão do fruto do primeiro acordo com Revell os eixos ainda são finos, curioso a cor dos fios da bobina do motor.

Não me diga que não é o Scalextric Jaguar-D, mais bonito jamais visto.

Interlagos, o novo chassis, grupo de rodagem e motor não se perdem.

Imagem

Imagem

No pouco visto branco.

Esta unidade foi recentemente colocada à venda (2.016), pelo modesto preço de R $ 2.000, pouco abaixo de 700,00-EU.

Imagem

Como as porcas são tão estreitas, elas vão para fora, fixam as rodas com o chassi e a carroceria.

Levará originalmente, rodas e borracha do Corvette.

Imagem

Certamente cor de pouco sucesso comercial na época.

Na minha opinião eu colocaria rodas e pneus menos exagerados em tamanho.

A Ferrari-156 também tem seu kit com melhores recursos.

Com os padrões da Estrela, eles são bem feitos.

Imagem

A caixa onde vem o Kit, o carro fotográfico veio na versão básica para conjuntos com rodas de plástico, a versão Kit-Competição vem com as rodas de alumínio e calotas do AC Gilbert Corvette.

Detalhes dos lados da caixa, um deles a bandeira da Itália e o desenho do modelo na versão real.

Imagem

Achei essa versão na net pelo inestimável preço de R $ 3.500, algo como 1.200-EU, não tem escovinhas, tem o mesmo círculo de contato que os AC Gilberts.

O motor está totalmente fechado pela parte de abaixo.

Imagem

Este carro que parece totalmente original, tem um sistema de contato curioso, em vez de trenças tem os contatos tipo de A.C. Gilbert estou convencido que nos 2 primeiros anos de comercializar os produtos Autorama, todos os modelos vinham assim.

Corvette 61 'repete também nos kits competição e ganha, chassis, rodas de alumínio, cromo e etc ...

Imagem

Eles não virão nos sets, apenas individualmente.

Imagem

Piloto é pintado, junto com o volante. Não sei se houve uma versão de luxo como esta, esta versão está muito bem acabada.

O novo chassis de alumínio é inspirado no Revell, é ajustável (conhecido como tipo escada) para diferentes distâncias do eixo.

Imagem

Transmissão de coroa de Nylon, parece com o Revell.

É o 3º chassis desenvolvido pela Estrela, motor aberto, com transmissão Revell.

Novo guia de Nylon, abaixo você pode ver o chassis da Revell é idêntico a Estrela, a guia parece muito semelhante se não idêntico.

Imagem

É claro que a AMT também tinha um chassi idêntico aos dois anteriores.

Imagem

A Estrela promove um Troféu no Estado de São Paulo, com a Interlagos Berlinetas divulgando sua nova transmissão por coroa, pinhão e o novo chassi.

Três lojas foram publicadas onde você poderia comprá-lo.

Imagem



Fim 1º parte.
Editado pela última vez por Johnny Rook em 01 Set 2019 22:55, em um total de 21 vezes.

kleberdexter
Mensagens: 64
Registrado em: 06 Jun 2014 21:38

Re: Historia do Autorama Estrela.

Mensagem por kleberdexter »

Parabéns pelo post. Essa marca foi a responsável por u entrar no hobby

Avatar do usuário
Johnny Rook
Mensagens: 39
Registrado em: 22 Jul 2019 20:37

Re: Historia do Autorama Estrela.

Mensagem por Johnny Rook »

kleberdexter escreveu:Parabéns pelo post. Essa marca foi a responsável por u entrar no hobby
Essa marca conforme eu vá colocando os modelos por cada ano, vai te surpreender muito, espera e veras!

Avatar do usuário
ransato
Mensagens: 105
Registrado em: 31 Mar 2016 21:31

Re: Historia do Autorama Estrela.

Mensagem por ransato »

Parabéns Johnny Rook

Ótimo conteúdo e importante para conhecermos a história do nosso hobby.

Estou no aguardo dos próximos capitulos dessa história :D


Abs.

Ransato

Avatar do usuário
Johnny Rook
Mensagens: 39
Registrado em: 22 Jul 2019 20:37

Re: Historia do Autorama Estrela.

Mensagem por Johnny Rook »

ransato escreveu:Parabéns Johnny Rook

Ótimo conteúdo e importante para conhecermos a história do nosso hobby.

Estou no aguardo dos próximos capitulos dessa história :D


Abs.

Ransato
Obrigado essa e a intenção, ter uma parte da memoria "histórica" sobre o Slot no Brasil, a Estrela dominava esse hobby e fez um grande esforço em estar no alto do podium e realmente conseguiu.

Avatar do usuário
GALOPP
Mensagens: 834
Registrado em: 13 Nov 2013 09:30
Localização: Recife/PE

Re: Historia do Autorama Estrela.

Mensagem por GALOPP »

Johnny Rook escreveu:
ransato escreveu:Parabéns Johnny Rook

Ótimo conteúdo e importante para conhecermos a história do nosso hobby.

Estou no aguardo dos próximos capitulos dessa história :D


Abs.

Ransato
Obrigado essa e a intenção, ter uma parte da memoria "histórica" sobre o Slot no Brasil, a Estrela dominava esse hobby e fez um grande esforço em estar no alto do podium e realmente conseguiu.

Daêêê parceiro JOHNNY ROOK!!!!

Simplesmente Emocionante!!!
Obrigado por compartilhar aqui no MUNDO SLOT CAR com tão rico e detalhado material sobre a HISTÓRIA DA ESTRELA e do AUTORAMA ESTRELA, como já mencionado, motivo pelo qual eu, assim como tantos outros amantes do AUTORAMA/SLOT CAR somos APAIXONADOS por esse HOBBY!
Fico, juntamente com os demais aguardando todo o material que você ainda tem para trazer.
Abraços,

André Knopp - galopp
ABRAÇÃO A TODOS DO Mundo Slot Car!!!!!!!!
André Knopp - galopp - Recife/PE
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
Johnny Rook
Mensagens: 39
Registrado em: 22 Jul 2019 20:37

Re: Historia do Autorama Estrela.

Mensagem por Johnny Rook »

GALOPP escreveu:
Johnny Rook escreveu:
ransato escreveu:Parabéns Johnny Rook

Ótimo conteúdo e importante para conhecermos a história do nosso hobby.

Estou no aguardo dos próximos capitulos dessa história :D


Abs.

Ransato
Obrigado essa e a intenção, ter uma parte da memoria "histórica" sobre o Slot no Brasil, a Estrela dominava esse hobby e fez um grande esforço em estar no alto do podium e realmente conseguiu.

Daêêê parceiro JOHNNY ROOK!!!!

Simplesmente Emocionante!!!
Obrigado por compartilhar aqui no MUNDO SLOT CAR com tão rico e detalhado material sobre a HISTÓRIA DA ESTRELA e do AUTORAMA ESTRELA, como já mencionado, motivo pelo qual eu, assim como tantos outros amantes do AUTORAMA/SLOT CAR somos APAIXONADOS por esse HOBBY!
Fico, juntamente com os demais aguardando todo o material que você ainda tem para trazer.
Abraços,

André Knopp - galopp
Obrigado pela força dada irmão o motivo por tamanho trabalho e que todos de aqui saibam o mesmo que eu, e que propaguem a cultura pelo Slot (Slot e cultura automobilística) e não se perda com o tempo.

Estava hoje fazendo o ano de 1966 e levei mas de dos horas montando o bagulho e olha que era só a parte dos carros, circuitos y complementos de H.O. uma falha na rede de Internet, me fez perder todo o trabalho, fiquei muito puto, quando se me passe um pouco vou começar tudo de novo. :x

Muitos não sabemos pero cada carro de autorama, tem uma historia na vida real incrível, os da Estrela tenho certeza que foram escolhidos com pinças, já que a maioria e de forma independente se pode escrever um livro.

Mas não adiantemos os fatos. :P

Avatar do usuário
Johnny Rook
Mensagens: 39
Registrado em: 22 Jul 2019 20:37

Re: Historia do Autorama Estrela 1.963 A 1.977.

Mensagem por Johnny Rook »

1966 .

Estrela, A.C. Gilbert, Scalextric, Revell, Strombecker, AMT, COX, Auto-Hobbies, Lionel, Tyco.

O ano de 1.966 e um ano de grandes mudanças no Slot Brasileiro através da Estrela com o seu Autorama.

O Slot no Brasil tem uma aceitação muito boa, existem pistas montadas permanentemente em vários estados, as vendas devem ser francamente boas e a Estrela é a única no mercado nacional.

Estrela mantem seus carros da empresa Inglesa Scalextric, mais os novos modelos virão de terras gringas (Estados Unidos), inclusive se oferta três novas carrocerias de acetato (bolhas), aumenta a oferta de carrocerias de plastico injetado (duas mais), todas de origem yankee, chassis de Latão e regulável em distancia, ademais de uns adaptadores para as carrocerias de Acetato, mais o de Alumínio extensível (lançado em 1.965), e outro chassis desmontável e regulável em distancia de Latão para os seus kits de competição chamados pela Estrela Alta-Performance, oferece três motores de caixa fechada tipo 16D de origem Mabuchi, eles estão fabricado pela Oxford do Brasil em exclusiva para Estrela, novas rodas de Alumínio, novos pneus de borracha, coroa de Aço tipo Revell e novas guias de Nylon mais profundas.

Aceleradores novos, transformadores novos, novas pistas de ultimo desenho e ótima qualidade, deixando pouco a pouco as de brinquedo de origem A.C. Gilbert, Estrela não esquece os mais pequenos, desenvolvendo através de outros fabricantes a sua linha H.O.

H.O.

Estrela entra no mercado H.O., desenvolvendo ela própria sua 3º, 4º e 5º carroceria (1º Formula Junior e 2º Interlagos), conta também com novos parceiros Lionel e Tyco.

Oferece três circuitos elétricos e um a pilhas, todos vindos de Lionel.

Imagem

Lionel pistas, motores e chassis.

Começa com o conjunto de pilhas e os aceleradores são um botão, tudo muito básico.

O conjunto de sets de pilhas não tem o nome Autorama, ele e chamado de Autódromo-Estrela.

Imagem

Com um Volkswagen 1.200, e um Willys-Gordini parece mais brinquedo do que um conjunto de Slot.

O circuito mais sofisticado é chamado Circuito do Caracol, foi lançado por Lionel em 1965.

Imagem

Três carros do mercado brasileiro serão comercializados.

Os controles serão, azul, vermelho e amarelo. Eles serão os mesmos usados ​​pela Estrela em 1/32, procedem da empresa yankee Tyco.

Imagem

Estrela não faz os aceleradores de Lionel, prefere os de Tyco, eles são 60 ohms.

Transformador da pista para H.O.

Imagem

Diferente dos usados em 1/32, eles têm, 110 volts para a entrada, 12 volts e 7,2 watts, os 1/32 carregam 10 watts.

Extraño desenho de um "rabo de peixe" do final dos anos 50, no transformador?????????

Simca-Chambord (Vedete na França), foi um automóvel desenhado para o mercado o Premium da época, o adversário direto dele era o Aero-Willys.

Imagem

Atrás dele se vê algum Interlagos e algum outro carro difícil de reconhecer, o V8 pequeno de origem Ford, que remonta aos anos 30, comanda as corridas de rua, consegue boas vendas no mercado em versões, "Pé de Boi". (básico) para taxistas, a perua Jangada (Marly na França), a versão Chambord (luxo), Rallye (carro esportivo na cor vermelha), modelo Presidente tipo limusina curta para executivos, Jangada-Ambulância e Polícia Rodoviária do Chambord com motor Emisul (cabeçotes hemisféricos).

O Berlinetas Interlagos começa a ficar na terceira linha na largada, obrigando a Willys a trazer alguns, A-110 e a R8-Gordini, da França.

Do tamanho de uma caixa de fósforos estava pensado para crianças que brincavam com os carros da Lesney (posterior Matchbox).

Imagem

É o terceiro carro feito pela Estrela com desenho próprio, o que em realidade se considera uma estreia mundial no Slot , equipado com chassis Lionel esse modelo no mercado de coleção deve ser uma peça rara, não e uma maravilha enquanto a proporções e detalhes, mas naqueles tempos o tamanho dificultava muito fazer excelentes reproduções, não só para a Estrela, para outros fabricantes também.

Imagem

As rodas do Chambord acima são as originais.

O chassi de Lionel é comum a todos os modelos Estrela em H.O., detalhe da coroa de bronze.

Imagem

O segundo foi o Gordini, também conhecido aqui como o carro das viúvas.

Um dos problemas de manter estes carros de Slot, e o apodrecer das rodas e a substituição é difícil aqui no Brasil, fora das nossas fronteiras sim que existem como reposição.

Imagem

Carro oficial da equipe Willys.

É o 4º carro da Estrela produz sozinha para o mundo do Slot.

Imagem

Eles não são uma maravilha no realismo, mas as pistas são muito boas.

Como o anterior, no mundo de H.O. deve ser um modelo muito raro.

Imagem

Ele não tinha os detalhes bem definidos.

Imagem

O terceiro carro e o modelo mais vendido no Brasil, o VW. 1.200.

Imagem

Carro muito querido no Brasil, os "Fuscas" são legiões nas estradas do país (foto Nassau 1964).

Como os dois anteriores são oferecidos em branco, vermelho, azul e amarelo.

Imagem

Modelo fabricado também pela Estrela, esse tres modelos devem se cotizar bastante no mercado de colecionistas de H.O. a nível mundial pela sua rareza.

Imagem

O Volkswagen não é uma maravilha na reprodução e os detalhes.

Imagem

Chassis, motor e transmissão, o mesmo que Lionel.

O "Fusca" da Estrela estava certamente fora da realidade daqueles que corriam no Brasil.

Imagem

Detalhe da Estrela para a manutenção de seus carros, está incluído nos sets.

Imagem

Era normal no Brasil ver os mesmos carros de rua circulando nas cidades e nos fins de semana os mesmos carros nos circuitos.

Todas as marcas que vendiam carros no Brasil, tinham a sua Equipe oficial e patrocinada, a Volkswagen não, era a única montadora que não patrocinava equipes de corrida, ela dava facilidades com seus preços econômicos, peças boas e em abundancia.

Imagem

DKW, Simca e Willys na eterna luta de marcas.

1/32.

Agora começa o tema quente de verdade!

Novo escudo Autorama.

Imagem

Estrela para o catalogo 66´e 67´ muda tudo, essa renovação alcança ate o escudo da marca, colocando duas bandeiras cruzadas em 1/32, ela insinua que seus carros serão muito rápidos, toda uma lição de marketing nos produtos de Estrela dedicado para o Slot.

Estrela mostra uma simpatia pela casa Ford.

Imagem

Esse ano foi realmente prolífico em carros, os corpos de acetato são apresentados, em 1/32: Ford Mustang, Ford GT40, Chaparral-2A (Acetato), Lotus-30 (Acetato) e Cobra Shelby (Acetato), carrocerias de acetato são pintados na fábrica, motores tipo Mabuchi fechados (fabricado pela Oxford), rodas de alumínio e mais alguns detalhes.

A Estrela chama as suas novas pistas de "Super Pista", na sua época foram as melhores para Slot, vem da casa Revell.

Gradualmente a cabeça do piloto Scalextric deixará lugar para a COX, que será o padrão da marca até 1972.

Se podiam comprar pistas avulsas.

Imagem

Até o formato e a apresentação da caixa são idênticos aos da Revell.

Imagem

Pelo lado se podia ver as vedetes de aquele ano, o Ford GT-40 da COX e o Mustang-GT de AMT.

Esses controles da Tyco para a HO, são usados para 1/32, creio eu que as cores indicam para que tipo de modalidade deve ser usado.

Estes em amarelo e de 25 ohms.

Imagem

Lembro que eles tinham um adesivo de papel metalizado na parte superior do controle onde o gatilho indicava a velocidade, em 1/32 eu sempre os vi em amarelo.

Outra novidade para esse ano são os aceleradores da marca COX, fabricados pela Estrela são oferecidos em tons azul claro e azul escuro.

Imagem

Eles foram oferecidos em alguns sets ou solto como opção com o lembrete de que é para a competição, eles foram vendidos com resistências de 25, 15 e 8 ohms.

Eu tinha 2 em azul marinho é o melhor acelerador feito pela Estrela, ele dissipa bem o calor e dura por horas seguidas, tinha dissipadores de alumínio dentro da resistência.

Transformador.

Imagem

Esta versão é de entrada de 110 volts para saída de 12 volts, não diz, mas certamente será de 10 watts.

Existia uma segunda opção em transformador, era o transformador de 220 volts tinha uma alavanca que você poderia colocar em 220V ou 110V.

Imagem

Os circuitos mais econômicos mantêm litografias da primeira série, na caixa abaixo à direita há um pequeno logo indicando que é um Super-Pista.

Imagem

Com uma caixa dessas, eu faria um bom quadro para a parede.

Engraçado e que para essa caixa a Estrela não usa o seu escudo com a bandeira de quadros, segue com o escudo do ano de 63´a 65´.

Imagem

Em todos os catálogos de Estrela daquela época, se pode constatar a importância que da a empresa para a família, sempre estão divertindo-se juntos, em alguns catálogos as mulheres brilham pela sua ausência.

Eles são quase idênticos às litografias do Monogram.

Circuito em "8", vem com dois Mustang's, olha a folha de decalque à direita, vem em todos os circuitos.

Imagem

Com um tipos de curva e um único tipo de reta, possuindo acostamento interno e externo como opção para completar o circuito, bastante aconselhável, mas subiria o preço que já não deveria ser barato sem eles.

Circuitos normais são vendidos em conjunto com um circuito em 8, sem carros ou transformador.

Imagem

Mais uma opção, comprar o circuito sem carros e transformador, você pode comprá-los na loja solta, escolhendo um modelo e cor, que é oferecer todas as possibilidades possíveis.

Venha sem o transformador, eu não entendo muito bem, mas deveria haver um motivo.

A expressão da criança diz tudo, olhando desde outro angulo, um garoto loiro e de olhos verdes não são maioria no Brasil, eles eram uma minoria, mas o produto estava dirigido especialmente para eles, são a elite.

Imagem

O anúncio deixaria qualquer criança com um pulso de 150, ele diz que o Papai Noel ira correndo para levar para a casa de todas as crianças, muitos devem ter ficado profundamente decepcionados com o velhinho.

O primeiro Autorama que vi, foi no ano de 1.966, tinha 2 Ford GT-40, um Branco-Azul e outro Branco-Vermelho, eu teria 5 anos, eles não me deixariam chegar perto .
Eu tive que aguentar o moleque que era filho de uns amigos dos meus pais, eles eram Galegos (Espanhóis) e se chamava Javierito, era duas vezes maior do que eu, tinha o mesmo rosto do Clark Kent com os óculos, eu consegui pegá pegar os carros algumas vezes quando eles saíam da pista, eu só senti o peso do carro, era o carro daquele tamanho mais pesado que tinha pego na minha curta vida, e como eles eram rápidos na pista.

Imagem

Os carros no catálogo, você vê as primeiras unidades não pintadas, todas são de uma única cor, o Mustang tem as porcas nas rodas do lado de fora, igual que o carro AMT original, o COX GT-40 tem as rodas originais de Magnésio, que nunca foram vistas na Estrela, as versões de competição de Interlagos são as do ano anterior, as mesmas que a Jaguar-D, tem as calotas Corvette cromadas em roda Alumínio e Ferrari-156 usa uma calota branca do Corvette, em rodas de alumínio, que é a versão do Kit-Competição de 65 '.

Os motores que a Estrela preparou para este ano, um detalhe curioso e que a Estrela pintava as carcaças dos mesmos e mandava para a Oxford terminar de montar.

O primeiro é chamado de Super 100 (fechado em Azul-Metálico) para carros STD (básicos) que vinham nos sets, Super-Força 100 (Azul-Metálico) para chassis de latão, pero vendidos em kits ou soltos e o Super-Força 200 (Red-Fire), para kits Alta-Performance ou soltos, todos esses motores são muito bem feitos (desmontei vários), foram cópias do Mabuchi de 3 pólos, conhecidos como 16D, são confiáveis ​​e de baixa manutenção, eram quase idênticos aos Revell Fireballs, mas totalmente incompatíveis nos chassis de um e outro fabricante, eles faziam isso de sacanagem para você não colocar um motor de um fabricante no chassis de outro e ter um pepino na pista.

Motor Super-100.

Imagem

Fio do induzido em verde, primeira série deste motor.

Super-Força 100.

Imagem

Fio cor de cobre no induzido.

Com pinhão de bronze e coroa de aço, ele deformou os dentes do pinhão ao longo do tempo, um pinhão de aço teria sido melhor solução, com as coroas de Nylon, o carro tem uma resposta mais suave.

Super-Força 200. Red-Fire (não tenho fotos), ele e todo vermelho para laranja e em um adesivo para identificar.

O novo chassi desenvolvido para esses carros é do tipo escada, mas feito de latão (mais difícil de desalinhar).

Eu não sei foi inspirado em um fabricante yankee, mas e bastante simples, não é necessário ser um gênio para desenhá-lo, aproveitando as distancias e buracos do chassi de Alumínio, é compatível com a maioria de carros, anteriores do chassis de Latão.

Imagem

Estou convencido que o desenho e a fabricação de esse chassis e inteiro da Estrela.

Rolamentos de bronze, eixos de aço de 3,2 mm, espaçadores de Nylon, rodas de Alumínio com rosca, calotas de rádio afinadas e coroa de aço, um conjunto sólido.

Eixos são para as versões Alta Performance, requerem rodas de Alumínio especificas para parafusos Allen, porque os eixos são lisos.

Imagem

Comprimento de 38 mm. e diâmetro de 3,2 mm.

Estrela oferecia vários eixos para 1/32, lisos cumprimento desde 38 mm. (para todos os carros dianteiros e traseiros menos a Ferrari 156), lisos de 47 mm. para Ferrari 156 e rosqueados de 46 mm. para pneus tala larga e para todos os carros.

Coroa de Nylon para STD e de Aço para os Alta Performance, esta segunda eu a conheci era muito barulhenta e com certeza mas lenta que as de Nylon.

Estrela apresenta novas caixas para os seus modelos vendidos avulsos, uma para os STD (serie) e outra para os KITS ALTA-PERFORMANCE.

As dos STD.

Imagem

Imagem

Um esquema dos modelos desmontados.

Imagem

O Mustang T, assim chamado pela Estrela, é um modelo da casa da AMT lançou no mercado em 1965, juntamente com a Aurora K & B.

Carro lançado pela Ford em 1964.

Imagem

Feito em três cores, Branco, Azul e Vermelho, mudava algumas vezes a cor do interior, outras não.

Imagem

Foi uma boa aposta, o Ford Pony-Car foi o carro do momento nas ruas.

Uma coroa de aço com um parafuso de fixação Allen é vista, envolvendo um eixo de aço cromado de 3,2 mm.

Com chanfro para apoiar o parafuso da coroa. Guia "dividida" de Nylon.

Carro da foto com a coroa de grafiti das versões de 1.968.

Imagem

E bastante exótico ver um 65 Mustang de Slot, com uma cabeça Scalextric.

Na época, o Ford Mustang era um carro autêntico, não se assemelhava a nada visto anteriormente, sua mecânica y suspensões estavam baseados em elementos de sobra comprovados, suas linhas eram de movimento e velocidade.

Imagem

Com rodas de raios, que o original nunca teve, é um modelo muito equilibrado.

O chassi deve ser esticado quase ao máximo, ao longo da carroceria.

Imagem

Este modelo leva o motor da Super-Força 100, se sabe pela cor do induzido.

Ford-GT40.

Imagem

Carro real em competição nos anos de 64 '.

COX, começou a vender em 65 '.

Imagem

As rodas de raios são perfeitas para o carro. Em 4 cores, branco e azul, azul e branco, vermelho e branco e branco e vermelho.

Dando uma olhada por debaixo parece muito bom, não leva o magnifico chassis e rodas de Magnésio do original, mas a carroceria e muito fiel ao modelo da COX.

Imagem

Esta série a bandeja piloto é uma faixa central.

Na cor vermelha rara que COX nunca fabricou.

Imagem

A cabeça do piloto é a da COX.

O Jaguar-D de Scalextric, continua em Estrela.

Imagem

Os pneus estão escritos no lateral é um bom detalhe de acabamento.

Nesta versão mude as calotas cromadas do Corvette, para as de rádio do GT-40 (foto modelo de 65´).

Imagem

Com certeza é o melhor Jaguar-D fabricado pela Estrela é oferecido em kit para montar, o chassi de latão aumenta o peso do conjunto, mas mantendo o peso baixo e o motor mais potente irá compensar.

Imagem

Talvez seja ainda melhor que o original, por estilo e velocidade na pista.

Pode ser melhorado nas rodas e na transmissão.

Berlineta Interlagos.

Um Interlagos todo desmontado com o chassis de latão com motor Super-Força 100.

Imagem

Sem dúvida o Willys continua, esse modelo é o mais atrativo dos Estrela Berlinetas.

Foi vendido em Kit.

Imagem

Compactaram o chassi junto com o motor o modelo se vê robusto.

Imagem

O Interlagos é visto mais uma vez apertado com o chassi, carroceria e rodas a espessura do corpo contribui para isso.

Imagem

Na cor Azul-Alpine, e a cor autêntica se carros de corridas da Alpine de Redelé.

Os sulcos dos trilhos da Estrela eram profundos e não eram tão elevados como o da foto, parece que está em uma pista da Scalextric.

A Autorama tem em oferta uma série de kits com chassi de design exclusivo para esta série, rodas e pneus diferenciados e motores Super-Força 200, esses kits se chamam Alta Performance.

As caixas são de qualidade que a Estrela um "Luxo" que nos acostumou.

Imagem

Os kits que a Estrela vende incluem o novo motor Super-Força 200, chamados por ela de Alta-Performance (competição), um chassi de latão de 3 peças com o motor sendo parte dele, muito comum nos 60 ', oferecido no Mustang, GT-40, Jaguar-D, no Interlagos a oferta é do chassi de latão tipo escada só comparte motor mas potente e transmissões, a Ferrari-156 mantém o seu motor e chassis monobloco (carroceria inteira), pneus, eixos e guia dos modelos competição, as versões do Ferrari-156 a partir do ano de 1.966, levam uma janela pela parte inferior, para esfriar o motor, Scalextric fez igual no seu modelo.

O novo chassi tem a possibilidade de ser utilizado com as novas carroceria de Acetato, eles são vendidos como uma opção individual com umas prolongações laterais para parafusar (4 parafusos) a carroceria pelos lados.

Imagem

Imagem

Muitas empresas yankees, levavam esses tipo de chassis, Revell tinha um pelo estilo, não me lembro de todas as marcas que levavam, mas são bastantes, o chassis da Estrela não e copia de nenhum oferecido no mercado internacional, com certeza a Estrela contratou alguma empresa dos Estados Unidos para realizar o modelo, era muito comum naqueles tempos, Revell, Monogram, AMT, Classic y um largo etc, a mesma coisa acontecia com as carrocerias, o Mustang da Estrela e o mesmo de AMT e K&B e talvez de algum mais.

Como a música diz "Um Mustangue cor de sangue".

Imagem

Ele só precisa de alguns números na carroceria junto com alguns decalques. Foi certamente a melhor versão do Mustang-T da Estrela.

O GT-40 tem sua versão "envenenada".

Imagem

Este traz o motor da Super-Força 200.

Eu não acho que ele fosse mais rápido que o original da COX, visto de baixo, a bandeja do piloto é a largura do motor.

Imagem

Rodas "tala-larga" para trás.

Não possui o espetacular chassi de Magnésio e provavelmente de pior comportamento que o original, é um dos poucos carros que a Estrela não melhorou em relação a versão de onde vinha.

Jaguar-D, existe a possibilidade do chassi de latão desmontável de 2 peças (em realidade são 3), e o motor Super-Força 200 tinha que ver o 'gato', na pista.

Imagem

A Ferrari repete e vem em kit, com rodas de alumínio, eixos com rosca, transmissão por coroa de aço e nova guia de Nylon.

Imagem

Janela de resfriamento do motor, que como se pode comprovar mais acima, as primeiras unidades não traziam.

Imagem

Muito melhor terminado que um Scalextric original, tenho certeza que em pista e superior em tudo.

Eles são difíceis de encontrar.

O kit de motor Super-Força 200 para o Berlineta-Interlagos, deveria ser um tiro, mas nos pés dos adversários.

Imagem

Na combinação de cores "Alpine-Calcinha". :oops:

No catálogo de kits, temos carros mais leves e portanto, mais rápidos.

A Estrela oferece um produto para pistas de madeira para velocidade, levando o chassi de latão STD. ou o de competição e acoplamento de uma espécie de prolongadores laterais, para poder parafusar o corpo do Acetato que ela também oferece.

Carros de Acetato, a Estrela entra no mundo das carrocerias bolhas, oferecendo 3 carrocerias e dois chassis.

O primeiro chassis e este.

Imagem

Um STD com adaptações laterais.

O outro chassis e o chamado de Ata-Performance pela Estrela, sendo mais elaborado, com certeza tinha que ser um pouco mais pesado que o anterior, o que não significa que fosse mais ineficaz.

Imagem

Com motor super-Força 200, deveria andar francamente bem, tanto em madeira como em pista caseira, o carro da foto, leva coroa grafitada que começou a ser vendida no catalogo 67´e 68´ e os pneus dianteiros e traseiros são do catalogo 68´e 69´ esse carro deve ter sido vendido sobre 68´ou 69´.

Os três carros bolhas da Estrela.

Chaparral 2A, Lotus-30 são de origem Auto-Hobbies, o Cobra-427 Proto e um enigma para mim, e visto algum sendo vendido em ebay, mas cada vez que vejo um, não coloca fabricante o nunca coincidem com o mesmo, estive em contato com grandes colecionadores incluído Lespinay e não sabe de onde vem, eles o viram mas desconhece a procedência y olha que e um modelo muito emblemático da Shelby, foi a primeiro 427 e por isso se chamou Proto (Protótipo).

Imagem

A cabeça do piloto é mais uma vez da Scalextric, colocada no topo do Cockpit.

Chaparral 2A, essa versão são dos primeiros Chaparrais do ano de 1.964.

Com essa carroceria se podem fazer muitas versões diferentes do Chaparral-2A, Roger Penske Nº-6 que terminou 9º na Player´s 200 Mosport, Grad-Prix de Watkins-Glen de 1.964, USRRC KENT de 1964, Laguna Seca 1964 e talvez alguma mais

Imagem

O modelo de Auto-Hobbies que foi produzido pela Estrela, tem uma toma de ar, na porta direita que e bastante característica dos carros que correram essas corridas e na maioria das vezes com exito.

Imagem

O Lotus-30.

Imagem

Esta versão e a de Riverside de 1.964, ficou em 3º lugar pilotado por Jim Clark, detrás do Chaparral-2A de Roger Penske e do Cooper Mônaco King Cobra da Equipe Shelby, com Parnelli Jones no volante e ganhou a corrida.

Imagem

A carroceria feita por Auto-Hobbies e reproduzida pela Estrela, tem um detalhe que caracteriza o Lotus de essa corrida, um espóiler traseiro, feito de Alumínio e só se usou em essa corrida monta o Super-Força 100, no chassis STD, a Estrela oferecia esse motor, o Super-Força-200 só no kit Alta-Performance ou solto.

Imagem

Carros "bolhas", precisam de algum cuidado para mantê-los novos.

O Cobra-427 Proto ou também Flip-Top.

Imagem

Na verdade quem desenvolveu esse carro não foi Shelby, ele estava terminando o seu Cobra Daytona Coupé, e deixou que o excelente piloto Inglês Ken Miles, desenvolve-se um Cobra 289, para colocar um Big-Block 427 de ferro, reforçando e equilibrando o carros de corrida, uma pequena aclaração o primeiro motor montado não foi um 427 e sim um 390 da N.A.S.C.A.R..

Imagem

Rodas com calotas de rádio não são as que utilizava o Cobra-427 Proto, mas sim os 289.

Tem corpo de piloto fazendo parte da carroceria, este carro e diferente dois outros em isso.

Certamente os pneus são os mesmos que o kit de competição do chassi de latão destacável.

Imagem

Modelo colocado à venda na rede, em condições impecáveis.

Imagem

Ele também usava a cabeça do piloto Scalextric (como todos os carros Acetato).

Visto por trás.

Imagem

Eles não têm o realismo das versões injetadas, mas tem encanto.

Ele usa estranhas guelras no capô e outra entrada de ar colocada por encima da principal.

Imagem

Imagem

A Estrela continua apostando no Slot em todas as suas modalidades.

Estrela simplesmente imita o que é feito nos Estados Unidos, Revell ofereceu magníficas pistas de madeira.

Não esqueçamos de que aquele que é o Presidente da Estrela foi educado nos Estados Unidos e pensa como eles.

A Revell oferece uma série de pistas de madeira por encomenda e são maravilhosas, montadas em lojas que venderiam os produtos da casa em “Regime de Locação”.

Imagem

Entre outros circuitos, Grand-Prix, Le-Mans e Sebring.

Estrela vai ao mercado de pistas de madeira, produzindo a pista, vendendo ou alugando, formando lojas especializadas em autorama.

Imagem

A Estrela também produz faixas de madeira a pedido, a da foto encima e a da Escuderia Escorpius y estilo Blue-King, estava no Autorama-Center, na cidade de São Paulo, tinha uma particularidade de todos os seus parceiros fundadores, eles são do Signo do Escorpião, a pista tinha 58 metros de corda e uma mudança de grau em uma de suas linhas.

Havia vários Centros Autorama nas principais cidades do país, não sei quantos existiam.

1.967.

Estrela, A.C. Gilbert, Scalextric, AMT, COX, Revell, Auto-Hobbies, Lionel, Tyco, Strombecker, Russkit, Lancer, Monogram e Gar-Vic.

O Slot no Brasil não para de crescer várias lojas com pistas de madeira abertas, há um volume significativo de vendas de pistas caseiras.

A Estrela possui um grande número de colaboradores (lojas) para seus produtos, o Autorama está em todas as frentes.

Seu maior rival em lojas de brinquedos, aproveita tudo o que a Estrela investiu para divulgar o Slot no mercado Brasileiro, e naquele ano lança a sua pista de Slot, o ATMA-Pista, mas essa e outra historia que contarei em outro post dedicado a ATMA.

Estrela no catalogo do 66´e 67´da um salto qualitativo enorme, muda pistas, guias e motores, tudo e novo são produtos que estão no mercado mundial com menos de um ano, no catalogo 67´e 68´ ela da outro salto qualitativo, faz acordos com novas marcas de origem e com prestigio nos Estados Unidos, tendo uma vez mais uma serie de produtos que nenhum fabricante a nível mundial tenha nada igual em seus catálogos.

Autorama Estrela entra em 1.967 no mundo mais especializado do 1/24, Estrela em 1.966 começa a vender pistas enormes de madeira com 8 pistas, os carros de 1/24, são mais apropriados para esse tipo de pistas, Estrela queria dar um impulso para os seus Autorama-Center e ampliar o numero dos mesmos, vendendo o alugando suas pistas, elas em realidade estão mais pensadas para adultos que para crianças.

H.O.

Segue com os mesmos carros e circuitos.

Imagem

1/32.

Imagem

Circuitos e carros novos no catálogo traz na capa, Lotus-38, Cheetah e Chaparral-2A.

Oferece conjuntos de 4 pistas, que esteve oferecendo em 63´64´ e 65´ com as pistas A.C. Gilbert e não no 66´ com as pistas Revell.

Imagem

Nos desenhos dos sets, a partir de 66 ', há uma clara inspiração do Monogram que traz um GT-40 e um 250 GTO-LM, nao da para entender muito bem essa relaçao de momento.

Circuito em forma de “0”, em 1/32 é o mais econômico do Autorama-Estrela, tem dois Ferrari-156 no set.

Imagem

Em vez de colocar um Ferrari 156 da Maranello, colocam um Fórmula-VW, fórmula criada mais barata de acessar os circuitos reais no Brasil, o ano de 1.967 a sua inauguração nos circuitos do Brasil e a Estrela divulgava esse acontecimento em suas caixas de Autorama talvez de maneira altruísta, uma curiosidade é que não teve nenhum tipo de patrocínio do fabricante Alemão para as corridas da Formula VW.

Um dos pilotos de essa nova Formula, eram os irmãos Fittipaldi.

O nome de este set da Estrela é Indianópolis Autorama Super-Pista, abreviado na caixa (S.P.).

Estrela este ano traz 3 novos carros, e repeti os mesmos carros de acetato.

Chaparral-Sport (2A), Esporte Lotus-30, Esporte Ford Cobra-Shelby (Cobra-427), tudo de Acetato.


Imagem

Os modelos plásticos injetados do Catálogo de 1967, segue sendo de luxo, as cabeças de pilotos de COX, pouco a pouco vão dominando os modelos da Estrela.

Estrela coloca no mercado Brasileiro, o terceceiro carro da COX (Cheetah) e dos da Strombecker (Lotus-38 Indy 65´ e Chaparral-2A Sebring 65´).

Coroas de Nylon-Grafite da COX vêm de fábrica, melhorando as respostas do motor.

O Lotus-38 da casa Strombecker, é feito com muito cuidado, é de uma beleza única.

Primeiro carro a ganhar Indianópolis com motor traseiro (1965), das mãos do lendário Jim Clark, com o modelo da Estrela se pode fazer muitas versões que correram em Indianópolis até aos 70 '.

Imagem

Os modelos da Estrela são superiores aos modelos originais da Strombecker, chassis, motor, rodas, guias. mas a principal é a cabeça de piloto Scalextric, esta fora de escala com o carro original, mas seve para entender o tipo de modelo na pista.

Imagem

Três cores são oferecidas como se vê na foto. Os dois primeiros são da versão 67 ', o azul é 70' (pelas rodas).

Imagem

O modelo e fora de serie, não e graças a Estrela e sim a Strombecker, Estrela só reproduz o que outro teve nota 10, mesmo assim ela não baixa o padrão.

Virando, a impressão de qualidade aumenta e si não compare com um original.

Imagem

O chassis típico usado nos anos 60, assemelha-se de certa forma ao original (o original tem o motor aberto), o motor Mabuchi-16D se lançou depois do Lotus-38, antes os motores eram abertos, Estrela colocou o mais moderno em tecnologia no Brasil.

O motor faz parte do chassi, da uma olhada no pêndulo, bastante fino e delicado, e Estrela vendia o mesmo solto para ter o modelo alinhado, com esse modelo a Estrela esse ano lançou mais 2 eixos para o seu catalogo, um liso de 44 mm. para o eixo traseiro e outro liso de 50 mm para o eixo dianteiro.

Imagem

O Lotus-38 em versão kit com motor Super-Força 100, também existe o kit de competição com o motor Super Força-200, na foto se pode ver que no kit ele leva as entradas de ar para a admissão do motor em opção, o Jim Clark pilotou um Lotus-38 em Indianópolis em 1.966 e era vermelho.

O Cheetah de Bill-Thomas é fabricado pela primeira vez na América do Sul. ;)

Imagem

O modelo original.

Imagem

Chassis e rodas de Magnésio, um luxo e também muito trabalho delicado para ter o carro de maneira impecável.

No que diz respeito à carroçaria, é o mesmo ou melhor que o original da COX. Cores, preto, vermelho, azul e branco.

Ele não usa as rodas americanas de Mags que a COX realizou em Magnésio (não são de Alumínio), as calotas de raios usadas no Mustang e GT-40, não fica ruim.

Imagem

Volante completo, o carro da foto talvez seja de um kit, leva o motor Super Força-100.

Imagem

Até cobre faróis ele trazia, eu vi alguns com o piloto de Scalextric, este tem a cabeça de COX.

Este do meu amigo Camposlot da Espanha esta impecável.

Imagem

Carro original feito pela COX, é a versão de 4 luzes traseiras da famosa equipe de Alan Green.

Existem pequenas diferenças em relação ao original, mas elas são internas.

Imagem

A tampa do estepe é diferente e a tampa do tanque de gasolina sim, na foto parece que nao. mas e porque o carro foi restaurado ecolocaram uma diferente.

Imagem

Outro carro que a Estrela deve ser menos rápido que o original o chassis, rodas e pneus são inferiores comparando co o modelo original.

O Cheetah para mim e um dos carros esportivos (se podia matricular) e de corridas mais bonitos da historia do automóvel, sua traseira arredondada e muito sexual :D a primeira vez que eu vi ele (da Estrela), fiquei enamorado. :oops:

Imagem

Há espaço para melhores pneus a coroa já é de Nylon-Grafitada com o e núcleo de alumínio.

O seguinte carro do catalogo da Estrela 66´e 67´e de novo do prestigioso fabricante gringo Strombecker, ele representa um carro revolucionário que correu nas pistas yankees na metade dos 60´, Chaparral o proprietário e piloto da marca era o multimilionário do petróleo Jim Hall, sem limites de recursos econômicos e apoiado diretamente pela G.M. Chaparral revolucionou o mundo das corridas, com chassis, carrocerias y mil coisas mas nunca vistas no mundo das corridas dos anos 60´, o que mais impressionou foi sua caixa de marchas automáticas de origem G.M., foi o primeiro carro de corridas com esse tipo de caixa (1965).

Imagem

O carro reproduzido pela Strombecker-Estrela representa o carro que correu em Sebring de 1.965, foi uma vitoria épica, com uma tromba de água impressionante, os organizadores decidiram não suspender a corrida, a luta era tao acirrada que resolveram ver qual seria o resultado, Jim Hall com o seu próprio carro ganhou de maneira indiscutível.

Imagem

Outro Strombecker com piloto Scalextric.

Na realidade o modelo da Strombecker não e o carro que correu em Sebring em 1.965, ele e um Chaparral de 1.964, a Strombecker tinha pronto o 2A (Chaparral), do ano anterior para lançar em 1.965, como a vitoria de Jim Hall foi tao espetacular, eles colocaram dois faros adicionais e passou como o carro se Sebring, mas os puristas como eu, não tragou essa mentirinha.

Se pode ver as diferenças nas marcas de COX (ambos 1/32 e 1/24), esses são replicas perfeitas do Chaparral de Sebring de 1.965, inclusive e a unica empresa de Slot que tinha a autorização e os planos originais do Chaparral de Sebring 1.965.

O Chaparral da Estrela, foi feito em Branco, Azul, Vermelho Preto.

Ele era em verdade um 2A da corrida de Nassau de 1.964, este era o carro.

Imagem

Patrocinado pela cerveja Gold-Star, o carro de Harp Sharp (piloto, sócio de Jim Hall e multimilionário também) e os pneus Good-Year, o segundo carro (6) é de Roger Penske, este com pneus Firestone, o carro não levava as rodas ninho de abelha (não foi BBS quem estreou esse desenho de rodas), as corcundas nos para-lamas dianteiros (para que cabecem os novos pneus de corrida com maior diâmetro), nem os 4 faróis da versão Sebring-65 '.

Carro dirigido por Harp Sharp que venceu a corrida.

Voltando ao nosso tema o carro de Estrela Strombecker com seu chassi de latão visto de baixo.

Imagem

A Estrela teve que modificar o seu chassis de Latão, na parte traseira porque o mesmo não cabia na carroceria do modelo.

Imagem

Esse chassis aparte do Chaparral, só servia para os modelos de Acetato em 1/32 com as prolongações laterais, no modelo de plastico injetado, os 2 parafusos de atras se viam desde fora ficando bastante estranho esteticamente, não e um dos melhores modelos da Estrela, mas o conjunto era superior ao original da Strombecker.

Uma replica do Chaparral de Strombecker feito na Austrália hoje em dia para corridas de clássicos.

Imagem

O seguinte modelo da Estrela para esse ano e o conhecido Mustang-GT.

Imagem

Em seu segundo ano, ele participa de todos os circuitos.

Imagem

Modelo com uma terminação impecável.

Imagem

Ligeiramente baixo, ele e realmente bonito.

GT-40, repita pelo segundo ano.

Imagem

Você pode ver que a bandeja do piloto é uma faixa neste carro.

Os de acetato, repetem também, não ha novos carros.

Chaparral-2A.

Imagem

Imagem

Lotus-30.

Imagem

Imagem

Shelby Cobra 427 Proto.

Imagem

Pode parecer o mesmo Cobra que coloquei no ano de 1.966, mas não é, este e vermelho neutro e o outro é vermelho Candy (metálico), os pilotos sim tem as mesmas cores, até hoje só e visto três cores metálicas nos modelos da Estrela, verde metálico (Acetato e plastico injetado), azul claro metálico e vermelho metálico, estes dos últimos só em Acetato, mas podem existir mas cores metálicas, com a Estrela e seu Auto-Rama, nunca se sabe o bastante.

Também temos os kits exclusivos de competição, chamados por Estrela de Alta Performance.

Imagem

Lotus-38.

Em Vermelho

Imagem

O kit de competição preparado pela fábrica, com o motor chamado Super-Força 200.

Os pneus, mais finos no eixo dianteiro, assemelham-se aos do chassi de latão do Interlagos.

Imagem

Calotas do Mustang e GT-40 oferecidos no ano anterior.

O Lotus original foi vendido para várias equipes privadas, esta versão em vermelho é equivalente ao modelo Indianapolis Lotus STP 1966, pilotado por Jim Clark (n º 19) e Al Unser (n º 18).

Imagem

Cheetah.

Também tem seu kit Alta Performance.

Imagem

Com rodas melhores, fica mais musculoso com as raras rodas de parafuso Allen, da Estrela.

O Cheetah da Estrela-COX e realmente muito bonito.

Imagem

Carroceria da Estrela com terminação de primeira.

Chaparral-2A.

Esse modelo deve ter dado muita dor de cabeça para a Estrela, ela teve que modificar o chassis de Latão tipo escada que tinha. e com o chassis Alta Performance, uma vez mais teve que modificar a parte traseira.

Imagem

Se vê claramente que a parte traseira onde encaixa no motor, os parafusos de sustentação da carroceria não são horizontais e sim verticais, o Chaparral real (escala 1/1) era um carro muito curto e no modelo a escala acontece o mesmo.

Imagem

Vemos esse chassis com as prolongações para a carrocerias de Acetato, esse chassis es mas idôneo também para esse tipo de carroceria, por carecer das pequenas prolongações traseiras para fixar as carrocerias de plastico injetado.

Mustang G.T.

Os Mustang apresentado em 66´não fica fora dos kits Alta Performance.

Imagem

GT-40.

Imagem

Na cor vermelha que a COX nunca fabricou.

Jaguar-D.

Imagem

Com esse chassis e o motor Super Força-200, ele deve ser bastante superior em prestações si comparamos com o modelo de Scalextric que e o modelo de donde vem.

Ferrari-156 Shark-Nose.

Imagem

Ele não leva o chassis e motor dos kits Alta Performance, mas sim eixos, rodas e guia.

E um dos modelos da Estrela mais fáceis de restaurar, existe ate hoje muito modelos sendo vendidos de segunda mão pela Internet, inclusive os modelos da coleção Altaya, se vendem a preços baixos, e se pode aproveitar a parte superior completa, para-brisas, entradas de ar, grade dos carburadores e tubos de escape.

Willys Interlagos.

Imagem

Todo um classico vitaminado, podemos apreciar o piloto que e de origem A.C. Gilbert, a unica incongruência e que esse piloto e de escala 1/43 e o Interlagos 1/32.


1/24.

Quando a Estrela começa a vender as pista de medeira de ate 8 pistas em 1.966, esta claro que cedo o tarde ela entraria na escara rainha do Slot, as pista grandes resulta um pouco monótonas para os 1/32.

Estrela assina uma vez mais com grandes fabricantes gringos, para oferecer o melhor que existe no mercado yankee, Gar-Vic, Russkit, COX y Monogram.

Imagem

Um Chaparral-2A (plastico injetado) de COX e 4 carros de Acetato, Ferrari-330/P2 Russkit, Cooper F1 Russkit, GT-40 Lancer, y el Firebird GTX 1000 de Gar-Vic.

Imagem

1.967 e o primeiro ano em que a Estrela oferece seus modelos com pintura metálica.

Os decalques que ela oferece para a nova escala.

Imagem

No catálogo abaixo, começando com o chassis Gar-Vic que serve para os modelos 4 modelos, o Russkit, serve para os cincos, sendo os 4 restantes, tem que parafusar as prolongações laterais.

Os modelos da Estrela de 1/24, podem levar 2 motores o Super Força-500 ou o de competição Super Foça-600, os dos são de cor vermelho, e tem o apelido de bolão.

Fabricado pela Oxford no Brasil e um Mabuchi 36D, lançado no mercado gringo um ano antes, de maior tamanho que o 16D, ele dispõe de muito torque, mas não de muita velocidade.

Imagem

A maioria de motores que desfrutamos hoje em dia, vem de esses motores (16D e 36D), de Mabuchi, quando lançaram ele foi uma revolução, no tema de motor para Slot.

Estrela oferece três tipos de eixos todos com rosca para os seus modelos de 1/24, 58,5 mm., 64 mm. e 69 mm. com grossor de 3,2 mm.

A oferta nas rodas são 3, uma dianteira com pneu de borracha para todos e duas traseiras.

Imagem

Esta acima e para os modelos STD, traseira chamada tala larga (mo catalogo), para todos os modelos.

Imagem

Na foto acima vemos a especial tala larga, ambos modelos poderiam vir em STD ou KIT.

Chaparral-2A Sebring 1.965 de origem COX, este carro sim e uma reprodução perfeita de esse legendário carro de Jim Hall e Harp Sharp, inclusive a COX foi o único fabricante de modelos de Slot que a Chaparral certificava e assinava os seus modelos.

Imagem

Ele era oferecido em um chassis Gar-Vic e rodas de Alumínio, com pneus de borracha na frente e espuma detrás.

O carro na foto é rigorosamente decorado como o da corrida de 1965, só falta a pintura de cor marrom avermelhado por debaixo da porta, que era em realidade a cor do chassis do carro real, ele era de plastico.

Imagem

No carro da Estrela, dois parafusos de cada lado unem a carroceria com o chassis, igual que os carros de Acetato (esse chassis e para carrocerias de Acetato), ficando a estética de tao excelente modelo um pouco prejudicada, uma pena não ter vindo com o chassis de Magnésio e as rodas ninho de abelha também de Magnésio que levava o original, me imagino pelos custos do material e a especialização técnica para reproduzir com esse delicado material.

Imagem

Estrela no catálogo chama o modelo de Ford Firebird, mas na vida real a G.M. foi quem apresentou um carro de conceito com esse nome e uma cúpula dupla mas que só se parece com o carro de Slot de longe.

Imagem

Na Gar-Vic, ela é chamado de Firebird GTX 1000, a empresa gringa mistura a G.M. com a Chrysler. :lol:

Imagem

Uma olhada para o chassis da Estrela Gar-Vic.

Imagem

Peso de chumbo na guia preso por um clip.

Imagem

O carro Estrela visto de baixo, vemos o chassis que é o mesmo que o Firebird GTX da Gar Vic.

Imagem

E visto chassis Gar-Vic na cor Alumínio (igual que Estrela), mas existem em dourado e preto, lei que era para aumentar a rigidez e resistência do conjunto, mas eu penso que de essa maneira o Alumínio polido original se protege melhor aplicando esses tratamentos

O carro da Estrela na pista.

Imagem

Não se vê na foto, mas ele tem grade e faróis.

Visto desde atras.

Imagem

Uma particularidade de esse modelo e que não levava piloto.

O segundo Formula-1 da Estrela (1º Ferrari-156), foi na escala rainha de 1/24.

Imagem

Entre outros, foi pilotado por Bruce McLaren e Phil Hill.

O Cooper T73 Climax F1 1.964 Russkit (pelo chassis, mas a carroceria e Lancer), ;) ainda sendo uma carroceria de Acetato e com 3 anos de antiguidade, não deixa de ser muito bonito e bem feito.

Imagem

Cabeça de piloto uma vez mais, da empresa Scalextric, ela realmente pelo tamanho esta mais perto de 1/24 do que em 1/32.

Estrela, mais uma vez, oferece um produto nota 10. Olhe para o detalhe das rodas escritas em branco, o modelo da foto esta em um estado de cosevaçao francamente muito bom.

Imagem

Chassi uma autêntica maravilha tem uma diferença muito pequena no eixo dianteiro com a do Russkit original, pelo menos o que eu conheço.

No catalogo Estrela podemos ver uma opção para esse chassis que e uma especie de asa o espaciador feito de Latão, para acoplar ao mesmo permitindo acoplar os carros, Sports, GT ou Protótipos que são mas largos (Chaparral 2A, Ferrari-330, GT-40 e o indefinido Ford Firebird).

Imagem

Ferrari-330 / P2 Estrela-Gar-Vic-Lancer.

Imagem

Não a diferença do Ferrari oferecido por Russkit e Estrela esta ultima coloca o piloto de A.C. Gilbert, ficando o modelo enorme pela ilusão optica do tamanho do piloto, já que este esta mais próximo de 1/43 que de 1/24.

Carro que pilotou John Surtess nos 2.000 kms. de Daytona, ano de 1.965.

Imagem

Claro, com o mesmo corpo você pode fazer um 265 / P2, 330 / P2 ou um 365 / P2.

Russkit fabricante de modelos de Slot tinha uma grande gama de carrocerias de Acetato, suas terminações eram muito boas este é um dos poucos que não se destacam por suas proporções.

O carro da foto abaixo autentica carroceria Lancer, e tudo igual, quem fabricava essa carroceria era a empresa gringa Stormer, para Lancer e esta vendia solta ou a diferentes fabricantes de modelos de Slot.

Imagem

Gar-Vic também ofereceu una carroceria muito parecida com pequenas diferencias, desconheço se foi um modelo fabricado pela Stormer, ainda que penso que sim.

Ford Gt-40. Lancer.

Imagem

Mais uma vez na ausência de uma boa foto do carro da Estrela, coloquei uma da American Line, essa fabricante durante o ano de 65 'ofereceu este carro com peças de diferentes fabricantes, o carro brasileiro no catálogo veio em branco exatamente como o da foto acima.

Podemos ver os mesmos modelos vendidos pela Estrela, na prestigiosa empresa de slot Pactra.

Imagem

O Ferrari 330-P, inclusive vem no vermelho Candy idêntico a foto do modelo da Estrela em seu catalogo, o G.T.40 também e idêntico ao modelo da Estrela, ambos em estado impecável, se pode apreciar melhor a qualidade do produto oferecido pela empresa Brasileira.

Os Autorama-Center da Estrela como estava funcionando?

Parece que bem, a crise (1.966) no mundo do Slot que tinha começado no pais onde mais pistas tinha no mundo (Estados Unidos), parecia que não tinha cegado ao Brasil.

O da foto pertence ao Shoping-Center do Iguatemi, você pode ver Mustangs de diferentes fabricantes, Chaparral-2A com um espoiler estranho que o original nunca carregou, 906-Carrera e uma Ferrari 250-LM.

Imagem

Corrida com 400 voltas que aconteceram em 2 horas e 55 minutos, derrota para bem preparada Scuderia-Scorpius que alcançou apenas o 2º lugar desta vez.

Patrocinado pela fabricante Automesa, parece que a Estrela já tinha mais tipos de concorrentes em esse produto não só era ATMA que queria esse mercado (estreou no Slot em 1.967, mas so em 1/32).

Foto abaixo (Setembro de 1.967) do Autorama-Center da Scorpius, um lugar onde funcionava pela ajuda financeira de seus sócios e o patrocínio da Estrela.

Imagem

Em 1967, nasce a revista de modelismo Sport-Modelismo, na foto 906-Carrera, nº 23 é a Ferrari-330P / 2 e igual a feita pela Estrela e o carro mais atras é um Oldsmobile-Toronado, são de escala 1/24 e carrocerias de Acetato.

Imagem



Fim 2º parte.
Editado pela última vez por Johnny Rook em 26 Ago 2019 19:12, em um total de 46 vezes.

Avatar do usuário
Johnny Rook
Mensagens: 39
Registrado em: 22 Jul 2019 20:37

Re: Historia do Autorama Estrela 1.963 A 1.977.

Mensagem por Johnny Rook »

1.968.

Estrela, Scalextric, Revell, AMT, COX, Strombecker, Russkit, Lancer, Monogram, Garvic, Lionel, Faller, Tyco e Aurora.

Até agora vimos como a Estrela vai produzindo as ultimas novidades de diferentes marcas (a maioria gringas) e colocando o melhor material para os seus clientes, 1963-1965, este A.C. Gilbert com as pistas e 1 carro, Scalextric 2 carros, transmissão, rodas e chassis da Revell ou pelo menos inspirados na marca, Estrela produz dois novos carros e chassis, todos com motor aberto de origem ferroviario.

De 1966 a 1967, fabrica pistas Revell, as litografias nas caixas são quase idênticas às do Monogram de 1965.

Melhora os aceleradores reproduzindo o que é oferecido no mercado americano, os motores fechados de origem Japonês são montados em diversas carrocerias em diferentes escalas, oferecem pistas de madeira e material para andar neles.

Carros de acetato em escala 1/32 e 1/24.

Depois de mudar as pistas de 66 ', ele remodela suas pistas mais uma vez em 1968, acho que Estrela aqui fez a troca de conexão da pista para não pagar royalties.

As novas pistas, têm como atrativo a curva Monza, inclinada a 45º, mais larga e mais aberta, os carros tinham que passar com o dedo embaixo, essa curva e da casa Revell.

A maneira de juntar as pistas parece idêntica as que trazem a Monogram, algum dia espero saber o motivo.

Estrela publicita as principais novidades para 1.968.

Imagem

Imagem

H.O.

Continua oferecendo os conjuntos que utilizam pilhas.

Em H.O. este ano ela estreia dua novas carrocerias, Ford-J e Ferrari-250 os dois do fabricante gringo Aurora.

O circuito de montanha é chamado Rallye, um modalidade não muito popular no Brasil naqueles anos.

Imagem

Três versões são anunciadas, VW-1,200, Ford-J e Ferrari 250 G.T.O. parece que o Willys-Gordini e o Simca Chambord não são oferecidos.

Pelo tamanho dos modelos não são uma obra prima, mas se nos trasladamos para a época, não estão tao ruins assim.

Estrela acude para o Ferrari-250 G.T.O. de sobra conhecido por todos.

Imagem

Este ano Estrela não fara modelos próprios em H.O. pegara emprestados da Aurora.

Imagem

Vendo o modelo original de Aurora parece melhor que o da Estrela, não foi uma boa reprodução.

Eles levavam adesivos de papel, os carros na foto levam as rodas, dianteiras e traseiras diferentes das originais.

Ford-J.

Outro modelo clonado de um Aurora (me imagino que baixo acordo), este ano Estrela fara 2 Ford-J, este em H.O. e a ultima versão do carro experimental da Ford (teve 3), com esse carro a Ford bateu o recorde de Le-Mans em 1.966 ate 1.971, ficou de pé.

Imagem

Parece que desde os começos este carro tinha problemas com a aerodinâmica, em 1.966 ele saiu voando com o genial piloto Ken Miles que estava desenvolvendo o projeto, uns diziam que Ken Miles foi decapitado no acidente, outros que morreu na hora, tinham os que juravam que estava vivo na ambulância e 50 anos de pois apareceu um homem velho afirmando que ele e Ken Miles.


Imagem

No modelo da Estrela-Aurora, se pode ver as grandes luzes de esta ultima versão, Shelby era quem esta a cargo do programa de competição de Ford (Ken Miles era o seu piloro de confiança), essas luzes traseiras poderíamos ver em um Shleby Cobra K.R. 350 ou 500 de 1.966.

Imagem

Em H.O. não ficou um modelo bonito, essas rodas que lebam montadas são as originais, todos os modelos da Estrela em H.O. as levavam.


1/32.

Em 1/32 tudo é alterado, pistas, controles, chassis, rodas, guias e etc ...

Estrela faz uma grande mudança em seus produtos de Autorama, após a invasão da ATMA em 67 ' no mercado criado por ela, faz novos acordos com o gigante COX e tira uma gama de chassis de alumínio com base no COX IFC (Isofulcrum ) de escala 1/24, com a particularidade de ser para 1/32 que a COX nunca comercializou com as 2 peças (sim com uma), Estrela adapta a maioria de suas carrocerias para utilizar esse excelente chassis.

Junto com o chassi, são apresentadas as rodas de espuma, perfiladas, guia de Nylon-Graffiti, coroa do mesmo material tudo de origem COX.

Comecemos pelas pistas.

Imagem

Um Ford-J e um Lotus-38, juntos na curva Monza, o Lotus está à frente. Usando uma gíria da época afirma que no Slot a "onda" é a pista inclinada, este produto e da Revell, bastante bom (andei muito em ela), impõe mas velocidade por volta.

Nós vemos apenas o kit de curva comercializado que promete ser “vibrante”.

Os carros são o Mustangs em sua configuração original, são usados para o conjunto econômico, chamado Indianápolis, é um circuito na forma de "0".

Estrela novamente oferece quatro circuitos em 1/32. Tem dois modelos acima, é a primeira vez que eles oferecem dois conjuntos de luxo ao mesmo tempo, Grand-Prix e Monza.

Imagem

Catálogo nas fotos mostra um belo circuito de 4 pistas, que anuncia, GT-40, Cheetah, Chaparral-2A e um Ford-J.

Os controles COX agora vêm como padrão nos conjuntos de pistas. Os controles amarelos da Tyco, vem no conjunto básico no Indianápolis ("0"), também e vendido solto.

As pistas produzidas pela Estrela são de muito boa qualidade como sempre, conheço-as bem não representam dificuldade para serem montadas por uma criança de 10 ou 11 anos.

Eles vêm com alguns grampos para colocar abaixo da pista, ele mantém juntos e sem perda de corrente, esses grampos são oferecidos pela Estrela desde 1963 e talvez sua origem seja de A.C. Gilbert.

Se o circuito era relativamente longo, Monza, por exemplo, é recomendado um transformador por pista.

Se forem quatro pistas, então você precisa de quatro transformadores, para um ótimo funcionamento.

Estrela oferece juntamente com as novas pistas, os antigos acostamentos como opcional são da Revell, at´r 1.969 ou 1.970 a Estrela esteve oferecendo as pista de 1.966 como peças soltas.

Imagem

Penso que a Estrela fez uma sacanagem para quem tinhas pistas do ano de 1.966 e 1.967, unir com as pistas oferecidas em 1.968 era impossível, a possibilidade de unir pistas ficou impraticável.

Imagem

Nova litografia com as "estrelas" do ano, Ford-J e Andorinha.

O isopor das caixas e bastante grosso, de boa qualidade, excelente proteção para carros e outros elementos do conjunto.

Os controles foram feitos este ano em azul claro.

Imagem

O raro Ford-J em Amarelo muito difícil de ver, tenho serias duvidas se a Estrela fabricou realmente esse carro em essa cor, é a mesma cor do Strombecker, parece que tem os cristais mais escuros, acho que esse carro da fotografia e um Strombecker adaptado para Estrela, tem muito malandro bobo aqui no Brasil.

As tomadas foram cobertas com uma borracha elástica e muito resistente.

Os catálogos de carros de esse ano.

Imagem

Curiosidades de esse novo catalogo da Estrela e o Andorinha piloto da COX, (não Scalextric como era o normal), Ford-J na bela cor amarela, curiosamente com a bandeja de piloto vermelha o que me da que pensar que a carroceria da foto e original Strombecker e a bandeja e da Estrela, Chaparral-2A verde metálico (pintado pela Estrela) e o desejado por mim Cheetah Branco que a COX nunca fez, a maioria têm rodas traseiras de espuma preta e alto perfil menos a Andorinha que monta as rodas de espuma macia e cinza.

Estrela para o ano de 1.968 oferece 5 chassis, dois conhecidos que são o da Lotus-38 e o de Latão tipo escada, e três basados no modelo IFC da COX.

Os novos chassis são:

Imagem

Utilizado no novo Ford-J e no conhecido GT-40.

Outro que parece igual mas não e, ele tem umas prolongações traseiras para parafusar o mesmo na carroceria, desde o extremo da mesma e a mesma posição dos chassis de escada feito em Latão, as antigas carrocerias dos GT-40 (os do chassis, Latão escada e Alta-Performance), poderiam levar esse chassis sem problemas.

Imagem

Bem manufaturado, leve e robusto, ele também serve para os diferentes corpos de Acetato ou plástico soprado de outras marcas.

Aparafusado com 4 parafusos sob o carro, você poderia centralizar os eixos com os pára-lamas, só não poderia ajustar a distância dos eixos.

Gostaria de aclarar que a COX nunca utilizou esse chassis em 1/32, mas sim um muito parecido em 1/24, não sei si era um projeto deles que estava estacionado o foi um projeto da Estrela inspirado no chassis da COX em 1/24.

O ultimo e a parte central do chassis, ele em realidade e o pendulo do mesmo, separando ele e fixando através de umas "garras" ao eixo traseiro ele segue funcionando como pendulo e temos um chassis mais leve ainda e como o eixo dianteiro vai solto, ele se adapta a qualquer carroceria, por longa o curta que seja.

Imagem

Imagem

Esse sim a COX utilizou, não existe diferença com o da Estrela.

Motores, o Super 100 mais barato e o mais poderoso Super-Força 200 desaparecem do catálogo.

Andorinha uma copia da La Cucaracha da COX em 1/32.

Imagem

Carro da foto e o original da COX, o da Estrela e exatamente igual em tudo, menos nas rodas que no original são de Magnésio e cor da carcaça de motor.

O carro da Estrela.

Imagem

Não se nota a minima diferença com o original, inclusive se fabricava nas mesmas cores, a COX afirmou que o modelo foi inspirado nos primeiros Lolas T-70.

Ele é projetado para o máximo desempenho no slot, talvez fosse o carro mais rápido da Estrela.

Imagem

É um carro totalmente novo até a última peça.

Os pneus dianteiros são feitos para ter o mínimo contato com o solo, muito parecido com os da COX, infelizmente não leva as bonitas rodas de Magnésio do original.

O chassis é na verdade, é a carroceria do modelo, funciona como um Monobloco, o pêndulo é fixado ao corpo pelo eixo traseiro através de um casquilho de bronze com 4 suportes planos que se encaixam no pêndulo, no eixo dianteiro o sistema e o mesmo, mas é independente do resto do sistema, fixo sem buchas e diretamente ao eixo.

Ford-J.

Imagem

Carro laboratório da Ford para usar os Big-Block da marca, ele foi o percursor do Ford MK-IV, o modelo da Estrela vem da casa Strombecker, foi a unica que realizou a primeira versão de esse carro (a 2º e o "J" da Estrela em H.O. de Aurora).

Imagem

Para mim a branca e a mais apetitosa, já que da para fazer a versão real do modelo, só falta um pouco de pintura e decalques.

Ele foi feito em branco, azul, vermelho e talvez amarelo.

Imagem

Com pneus traseiros de espuma preta e perfil alto, esses pneus eram francamente muito bons, se comprava soltos, eles traziam pintados em branco nas laterais Autorama Estrela.

Imagem

Aqui vemos uma foto de um "J" branco e outro amarelo, foto decida do mercado livre, não acredito que o amarelo fosse original Estrela, os vidros escuros e a bandeja preta da a entender que e um Strombecker adaptado, o estranho e que com a bandeja original de Strombecker o motor da Estrela não cabe.

Vamos a ver isso.

Imagem

O carro branco e de Strombecker e o vermelho da Estrela, da para ver claramente a diferença de bandeja para piloto a da Estrela e elevada para caber o motor.

Imagem

Por fora e desde acima, não existe diferenças, pelo menos de grande importância, só pequenos detalhes.

Imagem

Visto desde atras são idênticos.

Imagem

Se vamos para o chassis, eixos, transmissão, rodas, motor e guia a coisa muda bastante.

Imagem

O da esquerda e o da Estrela, se pode ver e intuir que e muito mas carro que o outro.

Os modelos que a Estrela repete para o ano de 1.968, são:

Cheetah.

Imagem

O Cheetah com certeza deve ter melhorado muito com esse ligeiro chassis, o meu preferido seria um vermelho.

Chassi bem adaptado ao carro, rodas de espuma macias e pretas, coroa e guia de grafite estilo COX, rolamentos de bronze e espaçadores de Nylon.

1.968' foi o último Cheetah da Estrela em preto, ele também montou rodas de espuma com as calotas do GT-40, não todos os modelos levavam essa combinação. (Andorinha não).

Na pista deve ser divertido, curto, largo e baixo peso.

O Chaparral de Strombecker é atualizado e se torna um verdadeiro "papaleguas" (road-runner).

Imagem

O Chaparral Estrela-Strombecker e um modelo bonito se esta bem conservado a unica pega e que os 4 faros não corresponde ao modelo da carroceria, deveria ter somente dois.

Olhando por debaixo dele podemos ver o justinho que fica esse chassis na carroceria, a parte de atras quase toca na mesma.

Imagem

Os buracos traseiros para os anteriores chassis desaparecem por completo, Estrela cuida do produto, deve de ter feito um molde diferente para ter essa modificação.

Lotus-38.

Imagem

Segue sendo uma beleza.

Ford GT-40.

Imagem

Visto por debaixo, podemos ver que a bandeja agora e inteira e não uma tira como antes, teve que fazer uma nova bandeija.

Imagem

Vemos também que leva as colunas para fixar os antigos chassis, por isso acredito que nas antigas carrocerias se podem fixar no chassis Estrela IFC, com as prolongações atras, os pneus brancos do Andorinha começou a levar em esse modelo a partir do catalogo, 69´e 70´.

Mustang G.T.

Imagem

Esse modelo ficou inalterado desde o seu lançamento, teve duas opções de chassis e agora só dispõe do chassis mais básico.

Imagem

As únicas modificações foram a coroa grafitada e talvez a guia com o mesmo material, o modelo da foto ainda leva a guia antiga de Nylon.

Estrela lança novos decalques esse ano, a Estrela só tinha para 1/32 ate esse ano umas 4 folhas de decalques desde 1.963.

Imagem

Praticamente identico aos do ano anterior, a palavra Ford-J e algum detalhe mais.

As carrocerias de 1/32 de Acetato desaparecem do catalogo de 1.968, só duraram 2 anos no mercado, o mercado parece que não entendeu ou não gostou de esse tipo de modelos, justamente quando a Estrela oferece um chassis (IFC COX), realmente bom para esses carros, ela retira esse produto.

O que não significa que não houvesse quantidades de esses modelos nas lojas por vender, muitos sim aproveitaram o novo chassis, eixos, transmissão, coroa e guias para fazer um bom modelo rápido.

Chaparral-2A.

Imagem

Rodas exageradamente saindo da carroceria, em suas medidas certas (sem tantos espaçadores), ficaria bem mais bonito e não perderia efetividade.

Lotus-30.

Imagem

Em este vemos como as rodas se encontrão em um lugar mais logico, mais ainda estão uns milímetros para fora.

Imagem

Em este seu proprietário foi ainda mas longe, montou os pneus traseiros da serie Fittipaldi do ano 74´e 75´ e o deixou fora de jogada, a cor corresponde a mesma co Chaparral-2A em 1/24 e do Chaparral-2A em 1/32, ambos pintados em fabrica no ano de 1.968, não sei se os carros de Acetato, já vinham com essa cor em 1.967 (ultimo ano de catalogo), ou a Estrela seguiu com essas carrocerias pintando em 1.968 para eliminar estoque ainda que não os oferta-se no catalogo.

Uma foto visto desde abaixo, para ver como ficava esse chassis em essas carrocerias.

Imagem

Se vê bastante bem, se tivesse montado com uma chapa fina de Alumínio (Nescau trazia nas suas latas pela parte interna), ficaria perfeito, com 4 dobras e uma de cada lado, coladas com Araldite, não teria essas orelhas nos extremos, ademais de garantir a integridade da carroceria, já que era o primeiro lugar donde quebravam (invenção do meu grande amigo Valentim), o motor e o potente Oxford preto, lançado a partir de 1.972, esse carro esta fora da sua originalidade.

Cobra-427 Proto.

Imagem

Esse modelo montado no chassis IFC da Estrela, tem ademais as prolongações, dos chassis de Latão de anos anteriores, a carroceria se vê um pouco deformada, o que e uma pena porque ela e realmente estilosa e em esse modelo perde muito.


1/24.


Motor Super-Força 600 desaparece do catalogo, só se publicita o Super-Força 500.

O Chaparral-2A segue solitário como plastico injetado em 1/24.

Imagem

Esse modelo em verde metálico, penso que apareceu no ano de 1.968, igual que o seu irmão em 1/32 não e a cor original do plastico, eles eram brancos e a Estrela pintava eles, o mesmo fazia a Estrela com a carcaça de todos motores, ela pintava e depois mandava para a fabrica Oxford.

Visto desde acima.

Imagem

Dando a volta.

Imagem

Seria um exótico modelo para correr em uma corrida de clássicos de Slot para 1/24, na cor verde metálica, chassis Gar-Vic, motor Super-Força 600 e decalques da Estrela, claro estes últimos colocados com bom gosto.

Ferrari-330/P2.

Imagem

Esse modelos com um poco de paciencia se pode facer bonitos modelos.

Abaixo foto de outra versão sobre o mesmo carro.

Imagem

Parece tudo igual, mas não e a bandeja do piloto e mais alta, o espoiler traseiro e ligeiramente diferente e tem duas bocas de gasolina nos para-lamas dianteiros, talvez seja um Ferrari-265 P2 ou 250 não sei.

Cooper T-73 Clímax F1.

Imagem

Cooper da foto autêntico Russkit com carroceria Lancer(na ausência de fotos da Estrela), os dois modelos são idênticos, o da foto foi um pouco melhorado pelo modelista.

Ford-GT40.

Imagem

Faltando ter uma foto de um modelo da Estrela, coloco esta de origem Pactra mas a carroceria era Lancer, igual em tudo, podemos ver como a coluna A não vem pintada igual que no Estrela.


Firebird.

Imagem

No típico Estrela "Blue".

Imagem

Carro bem preservado e decalques com lógica.

O ano de 1.968 e o ultimo ano dos modelos Estrela de 1/24 no catalogo, só durou 2 anos, parece que a crísis no Slot mundial começa a chegar também no Brasil.

Os Autorama-Center continuarão funcionando.

Imagem

Carros de importação são vistos, mas também o Ford-J e o Cheetah da Estrela.

Ambos são também a capa do 1968 Sport-Modelismo.

Imagem



1.969.


Estrela, Scalextric, Strombecker, Revell, AMT, COX, Monogram, Lionel, Faller, Tyco, Aurora e GéGé.

Desde o Willys-Interlagos Estrela não faz modelo próprio, este ano ela apresenta dois modelos novos e de produção própria.

O mercado de Slot está encolhendo, produtos mais caros vão cedendo lugar a produtos mais econômicos.

Os modelos de 1/24 desaparece.

Estrela faz um produto novo de estreia mundial

A novidade desse ano, é a pista "Looping".

Imagem

A nova pista faz um giro de 360º e retorna ao mesmo eixo, elas são metálicas, na caixa a litografia mostra os carros novos dese ano.

Pessoalmente, eu não vi nenhum conjunto em 1/32 de outras marcas com esse tipo de set ou com essas pistas de metal, no entanto Aurora fez idêntico para a escala H.O. nos 60 '.

Na forma de um "O" alongado em uma das extremidades, com uma curva de Monza (inclinada 45 °), e havia outro conjunto mais econômico com a curva normal, talvez esse conjunto fosse um projeto de algum fabricante yankee e estava pausado pela caída do mercado e Estrela o aproveita-se, talvez nunca se saiba, o que sim e certo e que foi uma aposta arriscada da Estrela.

Em este ano Estrela também estreia aceleradores novos, de origem Revell.

Esse ano a Estrela faz eles em azul claro e brancos, nos anos posteriores passa a ser em vermelho.

Imagem

Estrela fabrica esses controles e os vende no set completo, têm seu dissipador de calor feito de Alumínio estando dentro da resistência.

Eu os conheço bem, eu tive dois, eles suportaram mal as longas corridas que fizemos, quando ficaram quentes eles tinham um cheiro muito característico (semelhante à manteiga), eles acabavam quase derretendo.

Os acelerado da Tyco ainda são vendidos para H.O. para 1/32 no set econômico.

Os aceleradores da COX também são vendidos como uma opção (melhor qualidade).

Imagem

Puma-GT1500 e Lota-T70 Coupé os carros fabricados pela Estrela; o Puma e um modelo único no Slot a nível mundial.

Em H.O. a Estrela apresenta dois novos modelos e produção própria da Estrela uma vez mais.

Este ano os modelos ofertados são cinco.

Karmann-Guia.

Imagem

Modelo que graças a equipe Dacon se tornou famoso nas corridas.

Carro muito utilizado para as corridas no Brasil, apesar da propaganda em contra da própria Volkswagen afirmando que não era um esportivo.

Imagem

Carro real feito no Brasil, por Karmann e VW. nas versões Coupe e Cabriolet.

O modelo da Estrela e bastante tosco, não e uma reprodução fina, pela frente e a traseira do modelo não corresponde as versões feitas no Brasil do carro a escala 1/1, pesquisei muito na internet e não encontrei nenhum fabricante de H.O. que fisese um modelo parecido (diferente sim), por tanto considerarei uma realização nacional ate este momento.

Imagem

Visto de costas, parece mais equilibrado.

Imagem

O chassis comum a todos da marca Lionel.

Puma GT-1.500.

Em esse modelo não fica a menor duvida que e uma realização da Estrela.

O modelo da Estrela esta copiado do primeiro Puma lançado no ano de 1.968.

Imagem

Claro que em H.O. as líneas são bastante condicionadas pelo tamanho do modelo e pelo motor e transmissão.

Imagem

De lado se vê um pouco "gordinho".

Desde atras e mais proporcionado.

Imagem

Podemos ter uma ideia do seu pequeno tamanho.

Imagem

Visto desde acima não esta tao mal, se vê melhor que o Karmann-Guia.

DERBI-RAMA

Imagem

Estrela busca novos mercados e estreia com esse tipo de set, depois de muitos anos reproduzindo modelos das empresas yankees, ela volta para Europa, para a França para ser mais especifico e mostra uma nova maneira de entender o Slot, agora com charretes em vez de carros, se conhece com o nome de Sulkys, se oferece só em um set em forma de "0", podemos ver os aceleradores em branco de origem Revell.

O Dérbi-Rama da Estrela e uma copia do modelo da casa Francesa GéGé, com a pista em verde (imitando grama), as mesmas são iguais que as da Estrela apresentada em 1.968, em realidade a licença da Estrela foi só para as charretes, motor e guia também são da Estrela, a pista e aceleradores são da Revell e o transformador também já tinha (o mesmo do H.O.).

Imagem

A empresa Paramount também comercializou o mesmo produto que a Estrela e ambos eram de GéGé, eles são considerado pelos colecionadores como um produto bem feito e raro (junto com GéGé), o da Estrela e ainda mais raro, ademais de exótico pela mistura de fabricantes.

Mudando as pernas dos jóqueis e charretes, se consegue com o Dérbi-Rama, 4 modelos de diferentes cores.

Imagem

Os cavalos movem as pernas por inércia e o jóquei tem braços mecanizados.

Imagem

A haste que move o braço de jóquei.

Sistema de transmissão, a guia e a mesma que ela usa nos seus modelos em 1/32, não é a da empresa GéGé.

Imagem

O motor é novo na Estrela para pistas de Slot e diferente do usado por GéGé, o motor é de tipo econômico.

O modelo montado.

Imagem

Eu imagino que os charretes estarão em 1/24, o motor seria fabricado pela Oxford, transformador do mesmo H.O. e Andorinha-Gávea.

Vou mostrar um Sulkys autentico de GéGé, este modelo foi restaurado por um conhecido meu na Espanha.

Imagem

Ele publicou todo o processo e muito interessante e instrutivo, deixo o endereço por si algum de vocês tiverem que restaurar um modelo de esses, ademais o mesmo processo serve para os carros também: ( https://pasionslot.mforos.com/1554558/1 ... n-de-gege/ ).

1/32.


Por primeira vez este ano a Estrela oferece um set em escala 1/32 a pilhas.

Imagem

Ela opta por vender os Andorinhas em esse set, também oferece o mesmo set com eletricidade, este ultimo traz o mesmo transformador e controles do H.O. e Sulkys (Dérbi-rama), o modelo a pilhas leva aceleradores do tipo com pilhas em cada um, e na verdade um Autorama com semelhante sistema deveria durar pouco as Rayovac da época, ademais de não serem nada baratas, pobre do pai que opta-se por esse sistema.

Os Andorinhas.

Andorinha, a Estrela reinventa COX La Cucaracha, fazendo uma versão mais barata (parece piada a frase :lol: ).

Cores, Vermelho ou Amarelo.

Imagem

Com cores neutras, pneus traseiros de versões antigas, sem pêndulo, o motor é o mesmo do Dérbi-Rama (talvez de Ferromodelismo).

Imagem

Coroa grafitada e espaçadores de Nylon, rodas dianteiras do Andorinha original, a guia e de Nylon (não grafitada), parece que e o modelo de 1.966.


Puma G.T.-1.500.

O ultimo modelo de realização própria da Estrela foi o Interlagos, ela volta a realizar outro carro esportivo de dois lugares, esta vez de um carro 100% de desenho nacional.

Imagem

A foto fala do Puma 1600, porque esta foto veio com o set de 71 '.

O Puma 1600 só foi lançado em 1970, modelo que faz a Estrela, pelas suas lanternas traseiras (Chevrolet C14 nacional), representa o carro de 68 ' ate 70'.

Imagem

Abaixo o modelo de escala 1/1.

Imagem

Outra característica dos carros desses anos, é a parte superior da janela traseira, tem completamente ângulos retos (curvado em modelos reais após 70 ').

Imagem

A traseira da versão 70 'é ligeiramente diferente.

O carro em escala 1/1, tem um sucesso imediato no mercado nacional, se diz que Malzoni se inspiro em um Lamborghini Miura, acho que foi inspirado mais em um Ferrari 250-GTO, eles foram oferecidos com motor VW-boxer, de 1.500 a 1.800, eixos de comando especiais, carburações especiais (Weber) e sistemas completos de escape esportivo tudo desenvolvido pela Puma.

Foram montados em chassis de Karmann-Guia, e encurtados pela própria Puma, a VW e a Karmann ficariam encantados, pelas boas vendas do modelo, com um chassis de vendas tão baixas, no carro dos fabricantes Alemães, exportado para vários países, se fabricou até na África do Sul.

O modelo da Estrela, aproveita tudo do Andorinha, eles vêm nas cores Azul, Vermelho e Branco.

Imagem

Esse motor de cor dourada, só chegou para o catálogo de 70 ', em 69' os carros virão ainda com o motor azul metálico, na pista havia era um carro um pouco, tinha uma altura que não beneficiava em nada a sua estabilidade, provei um e não gostei nada, era muito bonito, mas não era para participar em corridas.

Imagem

Com detalhes pintados na carroceria como, luzes dianteiras e traseiras, juntamente com as maçanetas das portas, versões posteriores traziam menos detalhes de pintura.

Olhando por debaixo da carroceria, se veia muito básico.

Imagem

O pêndulo é ancorado à bandeja do piloto, que por sua vez é termossoldada com os pivôs do corpo, para fixar o reforço das âncoras dianteira e traseira.

Lola T-70 MK-IIIB. Coupé.

Imagem

Modelo de escala 1/1 teve muito sucesso nas pistas de corrida por todo o mundo.

Criação própria da Estrela, foi realizado em, branco, azul e vermelho.

Estrela faz um carro importado trazido para o Brasil que realizou corridas reais, na verdade duas Lolas-T70s foram importadas para o Brasil, e a mesma versão da Estrela.

O corpo tem sua falho o teto pela parte da frente é inexplicavelmente baixo, parece que eles fizeram um "Top-Chop", um erro de molde e aceito pela empresa.

O único fabricante a nível mundial que realizou o mesmo modelo da Estrela foi Tamya, também feito de plastico injetado, por certo Ricardo Bifulco realizou um Lola dos "nacionais" sobre a base do modelo Japonês e com uma terminação impecável, ele foi publicado aqui em Mundo Slot Car ( viewtopic.php?f=33&t=71 ).

O Lola T70, também foi realizado em carroceria de Acetato em Estados Unidos.

Imagem

O detalhe do teto comentado antes.

Imagem

O carro é grande (largo e longo), com um pouco de pintura e decalques apropriados ficaria muito bonito.

Existem muitas versões para reproduzir do modelo original.

Suas entranhas.

Imagem

Esta é a segunda versão do chassi da IFC. do chassis Estrela, vagamente entra nesse corpo, olha para as extensões da traseira.

Rodas dianteiras de maior diâmetro e comprimento que as utilizadas pelas Andorinhas. Esse chassi se tornou muito popular entre os aficionados no Brasil.

O Lola nunca caiu em minhas mãos (eram difíceis de ver), mas ele faria um bom jogo com o Ford-J.

Imagem

Boa reprodução, com a seu estepe conforme exigido pelos regulamentos da época.

Imagem

Lola produziu mais de 100 carros do seu T-70.

Andorinha.

Imagem

Com este modelo apresentado em 1.968 a Estrela trouxe um fantástico carro de Slot para os aficionados Brasileiros, pouco conhecido esta francamente bem terminado, com a cabeça original COX (montada por primeira vez no GT-40), ela pouco a pouco foi sendo montada em todos os modelos de Autorama.

Ford-J.

Imagem

O modelo da foto e exactamente do ano 69´, ele abandona os pneus traseiros de espuma preta e passa a usar os de espumas cinza, podemos ver o motor azul metálico que corresponde para o catalogo 69´a 70´.

Lotus-38.

Segue a magnifica reprodução de Estrela da casa Strombecker, e o único representante em Formula-1 de Autorama.

Imagem

Igual que no caso do Ford-J. o modelo da foto e o de 1.969, so leva a cabeça do piloto pintada, segue sendo a de Scalextric.

Cheetah.

Imagem

Conheci o Cheetah com Estrela, nunca tinha visto um carro assim, adorei as suas formas, foi amor a primeira vista. :oops:

Imagem

Visto de baixo, não há carro que se ajuste melhor a este chassis, a Estrela fez um carro com elementos da COX, que ela nunca realizou, penso que e uma peça muito exótica.

Ford-GT40.

Imagem

No GT40, acontece o mesmo que com o Cheetah, elementos combinados da COX em um modelo que que ela nunca realizou.

Chaparral-2A.

O modelo da foto me mandou um colecionador de São Paulo chamado Pedro, pode ser um dos colecionadores com mais carros de Autorama do Brasil, levei uma grande surpresa quando vi um Chaparral-2A em azul, sempre tinha pensado que so fizeram em branco, ademais Pedro me comentou, que tinha escutado que existia também em vermelho e preto.

Imagem

Igual que o modelo de 68´ o modelo de 69´tem a diferença de montar os pneus de espuma cinza e não preta como o da foto, este modelo leva as calotas do Mustang-GT e do GT40, que penso não vinham nos modelos de 68´e 69´.

Imagem

Podemos ver que leva um espelho encima do para-brisas, que realmente levava o modelo de escala 1/1 e o modelo da Strombecker, mas esse espelho que leva este modelo não e o certo, pertence aos Formulas da serie Fittipaldi que começou a vender no ano de 1.972.

Mustang-GT. (Mustang-T para a Estrela).

Imagem

Praticamente igual (menos guia e coroa) desde a sua apresentação no ano de 1.966, segue sendo um modelo muito bonito por suas formas e medidas exteriores certas, 1.969 sra o ultimo ano para este modelo, desaparecendo a carroceria, chassis e conjunto de rodas.

Em 1.969 o recesso do Slot mundial que começou no ano de 1.966 (+ ou -), chega ao Brasil e seu principal impulsor (Estrela), sente como os seus ingressos vão mermando, este ano a Estrela deixa de apoiar seu mais importante Autorama-Center, o da Escuderia Scorpius, localizado em uma área nobre da cidade de São Paulo, a Estrela deixa de patrocinar o aluguel do imóvel.

Scorpius como Escuderia recebe de seus sócios uma taxa para a manutenção das instalações e o salário dos empregados, o numero de sócios vai caindo também, Estrela patrocina o seu ultimo troféu no local, dando a cada piloto que participou um Lotus-38 todo cromado e uma placa que diz "Escuderia Scorpius a maior da América do Sul".

As corridas na Scorpius eram famosas, eu vi reportagens fotográficas em revistas onde carros semelhantes aos Hot-Rods estavam bem preparados, havia todos os tipos de carros, corridas noturnas com neblina feita com gelo seco, carros com luzes que pareciam modelos reais.

A revista Sport-Modelismo coloca Estrela Looping na capa junto com os novos carros.

Imagem



1.970.


Estrela, Scalextric, Strombecker, Revell, COX, Monogram, Lionel, Faller, Tyco, Aurora, GéGé e Fleischmann.

Após a quantidade de chassis, carrocerias, motores, lançados entre 63' a 69', a entrada da nova década o Autorama se apresenta com poucas novidades.

Estrela este ano deixa de fazer modelos novos das marcas yankees (eles também diminuem novidades) e volta os seus produtos com os Alemães, Fleschman e Faller são seus colaboradores este ano.

Apenas duas novidades são apresentadas. Porsche 917-GT e Alfa-Romeo 33-Sport.

São dois carros que representam o fim do domínio dos grandes americano “Big-Block” e nasce uma categoria mais leve de 2L.

Ambos com 8 cilindros, Alfa em "V" e Porsche em "Boxer" (180º).

A denominação Porsche 917-GT dada pela Estrela é bastante inadequada.

No catálogo, acima vem o Alfa em Azul e o Porsche em Vermelho.

Imagem

Os circuitos permanecem os mesmos de 69 ', menos talvez o econômico de Andorinhas.

H.O.

Em H.O., as pistas movidas a bateria do ano anterior são oferecidas.

O Autódromo-Estrela (não Autorama) ainda é oferecido com alguns enfeites e melhores acabamentos que as primeiras unidades, mas ainda com botões como controles.

O oito torto tem a base de madeira e dois edifícios no circuito, bastante futuristas e realistas.

Imagem

Os controles são botões, tem a base de madeira, o produto se vê bastante cuidado na terminação.

No resto permanece o mesmo no começo.

Imagem

Apenas os últimos quatro carros lançados nos anos anteriores são oferecidos nos sets.


Dérbi-Rama.


Imagem

Estrela não coloca nada de novo em seu Hipódromo, tudo igual que em 1.969.


1/32.


Unica novidade para 1.970, no tema de pistas, e um contador de voltas que Estrela apresenta, desde o set de 1.963 a Estrela não oferece esse articulo para os seus sets.

Imagem

Com dois visores (um por pista), com fundo branco e letras vermelhas, ele marca ate 12 voltas e não funciona bem, pelo menos um terço das vezes não contabiliza a passagem do carro, no meu set (1.971), trazia um e não era funcional 100%.

As catalogo dos conjuntos são os mesmos de 1.968.

Imagem

No set Looping, novos carros também são oferecidos.

Eu gostaria de ver a Estrela 907 girar 360º pelo largo que ele era. ;)

No Indianápolis (básico na forma de “0”), a oferta é uma Puma e uma Lola.

Opcionais para aumentar os circuitos.

Imagem

As caixas permanecem as mesmas dos últimos anos.

Os controles amarelos da origem da Tyco não estão mais em 1/32 somente para HO, para os demais seguem o Revell apenas oferecido com resistência de 15 ohms.

Havia a possibilidade de comprar o Estrela-COX, também só com 15 ohms.

O motor muda de cor, vem em uma cor que eu chamo de "Gold-Old" (ouro velho).

Imagem

Talvez para comemorar a Tri da Copa do Mundo, Estrela pinta o motor dessa cor, tinha um desempenho um pouco melhor do que os do azuis metálicos, ou simplesmente meus motores eram mais novos.

Os carros daquele ano.

Imagem

Porsche 907 Langcheck (para Estrela 917 :shock: ), com certeza foi o carro de corridas de 68´, ganhando as 12 Horas de Sebring, 24 Horas de Daytona, Targa Florio e segundo nas 24 Horas de Le-Mans, entre pódios em outras corridas.

Imagem

O Porsche-907 da Estrela e uma reprodução de seu colaborador Faller.

Bem feito como a Estrela nos acostumou, trouxe pela primeira vez decalques específicos para o modelo (idênticos aos do Faller).

A bandeja do 907 está em cinza claro, tornando o interior mais luminoso.

Imagem

Modelo bastante bem feito pelo fabricante original, boas proporções e detalhes, Estrela faz uma copia idêntica, mas suprime detalhes que traz o original.

Imagem

Se pode apreciar que a raquete do limpa-para-brisas no original e uma peça separada e no modelo da Estrela não.

Visto por debaixo podemos ver o chassis IFC de COX, com os restos dos componentes da marca e reproduzidos por Estrela, não tenho duvida que o modelo da Estrela fosse mas rápido que o original.

Imagem

Eu sempre vi este modelo com umas rodas dianteiras de maior diâmetro (as mesmas dos Ford-J), em este vemos que leva as menores que são angulares e de procedência do Andorinha.

Alfa-Romeo-33 "Periscópio".

Com seu motor 2L V8, era um carro com muita personalidade.

Imagem

Ganhou a apelido periscópio, na sua primeira corrida na Bélgica, foi dado pela entrada de ar do motor traseiro.

Este carro vem de um novo colaborador a Fleischmann.

Imagem

Apenas a carroceria é da Fleischmann a cabela do piloto e de COX (igual que o Porsche 907). Eu acho que o original está melhor terminado, tem muitos detalhes, rodas, escape, limpa pára-brisas e um interior mais completo, o que falta na Estrela.

O original de Fleischman, é mais realista.

Imagem

Visto por debaixo e a mesma configuração que o Porsche e alguns modelos mais da Estrela.

Imagem

Em circuitos virados foi o meu favorito, a forma da carroceria fazia com que tivesse um ruído característico. Talvez o original não seja capaz de seguir a Estrela.

Com os mesmos decalques que o original, ele levava apenas um dorsal com o Nº215, juntamente com o escudo da marca Milano e um retângulo xadrez, decalques do carro vencedor na subida da colina da Bélgica, onde ganhou o apelido de periscópio.

Lola-T70.

Imagem

Ocorre também em Estrela as diferenças de tonalidades em uma mesma cor, o um vermelho mas vivo e o outro mais tirando a vinho , da esquerda tem o farol pintado a outra não, tenho quase a certeza que pararam de pintar depois dos 69 '.

Puma-GT. 1.500.

Imagem

Com ligeiros toques de pincel e algum decalque, ficaria mais bonito ainda.

Imagem

Embalagem que a Estrela usava para a venda de seus modelos soltos.

Ford-J.

Imagem

Os "Js" já vem com as rodas de espuma cinza, de menor diâmetro que as pretas que levava, ganha em aceleração.

Lotus-38.

Partir de este ano todos os modelos levam o novo motor dourado e as roas de espuma cinza.

Imagem

Cheetah.

Imagem

Na cor branca ele tem um duplo atrativo, ser da Estrela e ter uma cor que a COX nunca fez em esse modelo.

Ford-GT40.

Vocês podem ver claramente a diferença na bandeja com as primeiras versões, esta vem inteira (antes de uma tira), para colocar os pivos e aparafusar o chassis

Imagem

Carro da foto não leva a rodas originais Estrela, são as mesmas dos outros modelos


1971.

Estrela, Scalextric, Strombecker, Revell, Monogram, COX, Lionel, Faller, Tyco, Aurora e Fleischmann.

Em 1971 o autorama no Brasil está em marcha lenta, não há carros novos e por falar em alguma novidade o contador de voltas está incluído nos circuitos mais caros.

H.O.

Segue tudo igual.

Dérbi-Rama deixa de ser oferecido este ano, só esteve dois anos no mercado nacional.

1/32.

O set Looping não é mais oferecido, apenas carrocerias nas cores azul e vermelho, Lotus-38 com suas três cores habituais são oferecidos.

Imagem

Acho que eles ofereceram apenas três conjuntos nessa escala e sem modificações dos anos anteriores (exceptuando a inclusão do conta voltas), os carros são todos iguais, exceto o Ford-GT40 que e retirado do catalogo.

Porsche-907 Longchack.

Imagem

Em vermelho, talvez com um toque de tinta e alguns decalques seriam atraentes.

Alfa-Romeo 33-Periscópio.

Imagem

O modelo da foto está usando uma cabeça de piloto da série Fittipaldi de realização da Estrela (não e de outro fabricante), apresentado em 1.972, a partir de 1.973 os modelos da Estrela abandonam a cabeça COX e todos passam a usar esta.

Puma-GT. 1.500.

Imagem

O felino Americano segue nas pistas.

Lola-T70.

Imagem

Ha "española" (origem do nome Lola), segue dando guerra.

Ford-J.

Imagem

Por esses naos só se ofertava em azul ou vermelho.

Lotus-38.

Com sua cabeça de piloto Scalextric, e a unica lembrança da colaboração de Estrela com essa marca.

Imagem

Modelo da foto leva os pneus do ano 68´ e 69´ eram uns excelentes pneus, montei no meu Porsche 907, e andava melhor que com os de espuma cinza, os Lotus-38 de esse ano todos levavam os pneus de espuma cinza, e o ultimo ano para esse modelo.

Cheetah.

Imagem

O modelo original teve muitas versões que correram essa cor, era a oficial de Bill Thomas.


Naquele ano ganhei meu Autorama, joguei horas e horas todos os dias por alguns anos, o set era o Monza, com um 907-azul e Alfa-Romeo vermelho, motor dourado, nos divertimos muito, minha casa era um lugar para reuniões e corridas.

Imagem

Exatamente igual que os modelos acima usavam, comecei uma pequena coleção de modelos de Autorama de varias marcas.


Fim da 3º parte.
Editado pela última vez por Johnny Rook em 26 Ago 2019 21:41, em um total de 16 vezes.

Avatar do usuário
Johnny Rook
Mensagens: 39
Registrado em: 22 Jul 2019 20:37

Re: Historia do Autorama Estrela 1.963 até 1.977.

Mensagem por Johnny Rook »

1972.


Estrela, Strombecker, Revell, COX, Lionell, Faller, Tyco, Aurora e Fleischmann.

Eu não tive a sorte de conhecer o auge do Slot no Brasil que foi de de 63 ' até 69', morava nos subúrbios do Rio de Janeiro, na minha rua havia um importante advogado Português que tinha uma casa de dois andares, em realidade estava mais próxima a uma mansão que de uma casa, ao lado dela tinha outra casa enorme e no segundo andar dizia-se que tinha uma imenso circuito de madeira e de oito pistas, que ocupava todo o segundo andar.

Meus amigos e eu nunca a vimos, apenas ouvimos boatos, nos imaginamos só como seria andar em uma pista de madeira.

Com a recessão no Slot do final dos anos 60, Estrela decide reinventar o Slot no Brasil, e lança a sua serie Fittipaldi com umas características muito propiás e sem igual com o resto do mundo.

O ano de 1972 será lembrado pelos fãs do automobilismo como uma data importante, se realizou a primeira corrida de F1 (não pontuando para o campeonato apenas como prova), em terras do Brasil, foi realizada no circuito de Interlagos, com 40.000 espectadores é foi um sucesso, o "ruim" foi que ganhou um Argentino (naqueles tempos os Argentinos não eram considerados hermanos :oops: ) chamado Carlos Reutman (sua primeira vitória na F1), também foi o ano do primeiro titulo de F1, ganhado por um Brasileiro.

Estrela gradualmente se dedicará à F1, uma modalidade para aqueles anos desconhecidos no Brasil para a grande maioria dos Brasileiros, que sabiam mais de futebol que de outra coisa, os modelos são maiores que a escala-1/32, mais bem perto de 1/25, "bem" realizados e com carrocerias resistentes, algumas proporções não são 100%, como um Lotus-38 da Strombecker por exemplo, se nota que ha Estrela não domina o tema de proporções, também a cabeça e corpo dos piloto e de fabricação nacional, mas eles são em 1/32, ficando pequenos dentro do carro; a Estrela os anuncia em suas caixas que os modelos são em escala de 1/32. :shock:

Estrela utiliza de forma inteligente a imagem de Emerson Fittipaldi e, em menor medida, de seu irmão mais velho, Wilson, Emerson já tinha corrido no ano de 1.964 o 1º Festival Aberto de Auto-Rama Estrela, ficando em 3º lugar com mais de 1.000 inscritos.

Imagem

H.O.

Nos circuitos H.O. são oferecidos dois e parece que a Estrela ainda tem um público na pequena categoria.

Imagem

Na propaganda diz que o primeiro titulo do Emerson foi em 1.964 com Autorama Estrela, e uma publicidade enganosa, Emerson participou sim no campeonato, mas não ganhou, ficou terceiro, publicidade enganosa? Pues claro que sim!

Será o último ano do H.O. da Estrela.

Imagem


1/32.


Imagem

A Estrela certamente investe mais na imagem do que no produto.

Este carro que Fittipaldi tem à mão, deve ser uma unidade pré-série do modelo, o número do carro é 11 e carrega o símbolo Estrela colorido ao lado, as rodas de espuma cinza são maiores que o modelo de serie, o melhor de tudo e que traz a eterna cabeça de piloto de Scalextric. :o

Pistas.

Imagem

Com as mesmas caixas desde 1.968, as litografias mudam a serie se chama Fittipaldi e e vem os dois irmãos, mas um só é constantemente divulgado, Emerson.

Imagem

As pistas eram as mesmas das lançadas em 1.968, trocaram as cores ( o mesmo fez a Revell no final dos 60´), os acostamentos que antes eram opcionais, agora são elementos de serie nos dois sets mas caros, me imagino que o motivo foi o aumento do tamanho dos modelos.

Oferece três conjuntos, Formula-1 (Monza), Interlagos (“8”) e o Gávea que leva modelos de anteriores anos, este ultimo leva os modelos de 1/32 dos anteriores anos.

Aceleradores Revell em vermelho (já em 1.971 vinham em essa cor), transformador é o mesmo com desenho diferente na parte de encima.

Imagem

Motor.

Estrela lança um novo motor, bastante mas potente que o anterior dourado, esta vez ela pinta a caixa de preto ele é fabricado pela Oxford e vem acompanhado com o autografo de Emerson.

Imagem

Com uma relação final maior, ainda que a coroa tinha mas dentes, os pneus eram de um diâmetro bastante maior que os anteriores, eram bem mais rápidos que os anteriores modelos e isso que esses formulas eram bem mais pesados.

Catalogo das peças avulsas.

Imagem

Eles oferecem coroas de 29, 31 e 33 dentes.

Os motores pretos irão gradualmente passando para os GTs´, no decorrer dos anos.

Estrela oferece três controles, Tyco, Cox e Revell.

Imagem

Dois aceleradores são de 25-ohms, um e de 15-ohms.

Lotus-72D.

Vinham em uma vitrine de cortiça, papelão e acetato, toda robusta e de qualidade, muito parecida com as oferecidas por Fleischman alguns anos antes.

Imagem

As caixas trouxeram o autógrafo de Emerson, em 1.972 antes sequer de chegar as pistas no mercado, eu tive esses dois modelos, foi o máximo, eu com 11 anos era fanático por carros, e se fossem de corrida mias ainda, e sendo do Emerson já não podia pedir mais, tem em conta que em esse ano Emerson começou a ganhar corridas e subir no pódio em quase cada corrida, mas não tinha o titulo.

A bases das caixas são idênticas às dos produtos Fleischman.

Imagem

Me parece estranho que até uma simples base Estrela copie de outro fabricante, são os mistérios do Autorama Estrela. ;)

O modelo original era realmente espetacular, foi tao "louvado" que se instalou uma especie de febre por carros pretos, pelo menos aqui no Rio de Janeiro.

Imagem

O modelo da Estrela, estreava rodas traseiras novas, nunca usadas pela marca antes, as dianteiras eram as de espuma cinza utilizadas em anteriores modelos e lançadas em 1.967 no Andorinha.

Imagem

Na verdade era um pouco feio um Lotus-72D, em preto com rodas brancas.

Os decalques era bastante básico.

Imagem

O numero 1, se usava para o Lotus preto e o numero 11 para o vermelho.

Pouco depois do lançamento a Estrela lança os pneus traseiros em preto.

Imagem

Sobra dizer que os comprei, eram de um composto diferente que os brancos, eles eram mais macios e quando limpos andavam melhor, os da frente pintei a espuma cinza de preto, ate as rodas de Alumínio foram pintadas de dourado como o modelo de escala 1/1.

O outro Lotus-72D. (vermelho).

Imagem

Ele era bonito (tive um), mas o meu carro era o Lotus preto, o vermelho ficava sempre para algum parceiro para fazer equipe. 8-)

Imagem

A Estrela fez o Lotus vermelho inspirado nos primeiros "72", era patrocinado por Gold-Leaf e na verdade era um 72C (e não D), vocês vão rir, já no ano de 1.970 quando o Emerson começou a correr com esse carro, peguei uma camiseta branca e pintei na frente Gold-Leaf Team Lotus e detrás uma bandeira Inglesa. :lol:

Na parte ciclo tudo e novo (menos os pneus dianteiros), o chassis não e de nenhum fabricante forâneo, ao menos nunca foi comercializado por ninguém o que não significa que não fosse um projeto externo e a Estrela o comprasse.

Imagem

Misto de Latão e Alumínio, era muito bom, levava um peso no pendulo para estabilizar o conjunto.

Imagem

Se prendia na carroceria com 4 parafusos largos, o pendulo de Latão, brilhava bastante, tinha como uma especie de verniz muito bom.

O resto de modelos oferecidos pela Estrela diminui um ano mais.

Imagem

Este ano só 5 modelos são oferecidos o mais antigo data de 1.968 (Ford-J).

Alfa-Romeo 33 Periscópio.

Imagem

A cabeça de piloto da serie Fittipaldi, começa a substituir a tradicional da COX.

Porsche-907.

Imagem

Os motores dourados deixarão de oferecer e virão com o preto mais potente.

Lola-T70 MKIII-B.

Imagem

Puma-GT. 1.500.

Imagem

Modelo da foto com a configuração de 69´, ele viria com motor preto e cabeça de piloto da serie Fittipaldi.

Ford-J.

Imagem

Modelo com os decalques originais da Estrela, lançados em 1968.

1.973.

Estrela, Strombecker, Revell, Faller e Fleischmann.

O numero de colaboradores diminui cada ano e Estrela desenha e fabrica seus novos produtos, o Autorama de 1.973, muda de nome uma vez mais, agora se chama
Fittipaldi e a serie é Campeão do Mundo, em alusão ao titulo conseguido por Emerson Fittipaldi em 1.972.

No Autorama Estrela agora gira tudo em volta da F1, já não estão os H.O., carroceria de Acetato em 1/32, modelos de 1/24 e Sulkys (charretes).

Apresenta dos modelos novos o Tyrrel-003 de 1.971 e o Brabham-BT34 versão de 1.972.


Os sets.

Imagem

Segue tudo igual, só muda as tampas das caixas.

Imagem

A unica novidade dos sets, por apontar alguma estava no desenho do transformador, era idêntico ao de 1.972, mas tinha o recordatório de Campeão do Mundo.

Imagem


Os carros.

Imagem

O Lotus-72D deixa de ser oferecido pelo menos nos sets, talvez só como carro avulso, a verdade que ninguém queria o vermelho todos estão pelo preto.

Tyrrel-003.

Lançado para a temporada de 1971, ele correu até o GP de Espanha de 1972.

Imagem

Spoiler traseiro muito avançado modelo da Estrela é bastante similar ao original, os decalques também são bastante fieis com o modelo de escala 1/1.

Imagem

A suspensão simulada e o motor são melhor acabados no Tyrrel-003, que nos Lotus-72D.

Vendo a parte de baixo.

Imagem

Tudo igual que nos Lotus-72D, podemos ver como a carroceria do Tyrrel-003 e mais curta que o Lotus-72D, vemos isso pela guia, a partir de 73 'o motor pára de trazer o autógrafo de Emerson Fittipaldi.

Imagem

Estrela corretamente anuncia como Tyrrel-003 de 1971, o nome de Jackie Stewart não vem no carro, talvez devido à falta de acordo no tema de imagem com ó Escocês.

Se veia um modelo muito bonito, ademais era um F1, com uma frente unica, se conhecia como "tira neve", tinha muito plastico sem pintar, mas com uma mão aqui e outra la melhoraria bastante.

Imagem

Os decalques do modelo.

Imagem

Uma anedota, quando a Estrela lançou este modelo em 1.973 não sabia que ele seria Campeão do Mundo esse ano, nas mãos de Jackie Stewart. :o

Brabham-BT34.

O carro foi lançado com Graham Hill sem nenhum resultado positivo na F1 com esse carro, quando Wilson o pegou, era um carro de segunda linha pelo surgimento do Brabham BT37, com patrocinadores Brasileiros, Bardahl, Varga, foi um modelo que nunca funcionou bem.

Imagem

Carro dirigido por Wilson Fttipaldi Jr., patrocinado pela casa de lubrificantes e óleos Bardahl, Varga, Good-Year, Ford e Champion, esses três últimos em menor medida.

Os patrocinadores mais fortes eram do Brasil.

No modelo a escala abaixo se pode ver a beleza de este carro de F1.

Imagem

Carro apelidado na F1, como 'garra de langosta" pela sua frente singular, eu o vejo mais parecido a um tubarão martelo. :mrgreen:

Imagem

Carro descrito por Estrela como BT42, um erro imperdoável da casa Brasileira.

Imagem

O modelo em conjunto e bom, mais alguns detalhes delatam que a economia, vence a fidelidade, o para-brisas dianteiro e o mesmo do Lotus-72D, quando no Brabham e mais curto.

Traseira sólida, tipo Lotus-72D feito pela Estrela, aguentava bem as batidas desde atras.

Imagem

Visto desde abaixo.

Imagem

Tudo igual que os modelos anteriores, igual que o Tyrrel e mais curto em carroceria que o Lotus.

Os decalques.

Imagem


Lotus-72D.

Imagem

A unica novidade para esse ano e a folha de decalques, Estrela caprichou em esse ponto, bastante fiel com o modelo em escala 1/1, o carro da foto não leva os pneus originais, o dianteiro e de borracha, quando o original era de espuma (cinza o preta), e o traseiro e ligeiramente maior do que levava o carro.

Esse ano em uma dura luta com Jackie Stewart pelo campeonato, no final Emerson Fittipaldi só consegue o vice campeonato, demostrando ser um piloto muito talentoso

Decalques.

Imagem

Com paciência, se pode fazer um bom modelo com essa folha.

Os carros dos 60 'diminuem. Lola-T70 e Puma-GT saem dos circuitos de Autorama da Estrela.

Imagem

Os carros de 1.969 saem (Lola e Puma), mas o Ford-J que e de 1.968 continua, tive um em vermelho e talvez tenha sido o carro mais equilibrado em pista que ha Estrela tenha realizado, era muito procurado para correr com ele.

Alfa-Romeo-33 e Porsche-907, continuam.

Imagem

O Porsche tem o espaço envolta do motor mais aberto em relação a carroceria e esfria melhor, o 33-Periscópio tem o chassi mais ajustado ao corpo, quase um milímetro o motor trabalhava mais fechado e dando um som bastante diferente.

Ford-J.

Imagem

Vemos que o modelo da foto já leva a nova cabeça do piloto.


1974.


Estrela, Strombecker e Revell.


Estrela segue diminuindo os produtos por ela fabricados de origem de outros fabricantes e vai substituindo pelos seus próprios produtos, me imagino que reduzindo custos para abaratar o produto.

O de 1.972 o Slot no Brasil começa a crescer, no ano de 1.974 se nota de sobra pela quantidade de garotos com as pistas cinzas da Estrela (eu gostava mas das pretas), estas eram totalmente compatíveis com as pretas, mas adquiriam com o tempo uma cor encardida.

Como novidade este ano serão duas, um carro novo McLaren-M23 e um circuito "novo", que em realidade e uma reedição de um anterior do ano 1.969 sem o Looping.

Imagem

Emerson Fittipaldi se passa a McLaren e deixa a Lotus, e por terceiro ano consecutivo a Estrela produz por antecipado o carro que seria Campeão do Mundo ( primeiro o Lotus-72D com Emerson e depois o Tyrrel-003 de Stewart). :o

Patrocinado pela poderosa marca de charutos Marlboro, a McLaren tinha um contrato com a Yardley como patrocinadora, mas a oferta da Marlboro deve ser muito boa, fez com que a McLaren tivesse duas equipes, a sociedade com Marlboro durou 22 anos.

Há outra situação única na equipe MacLaren a Yardley, tinha como piloto a Peter Revson, sua família é dona da Revlon, que era por aqueles tempos a maior competência da Yardley, no tema de cosméticos.

Como no ano anterior o nome de Autorama vai acompanhado pelo apelido da família Fittipaldi, só muda o nome da serie: Autorama Fittipaldi, Serie-Mclaren.

Os sets.

Imagem

Eles oferecem quatro circuitos, desta vez há um a mais que nos anos anteriores.

Imagem

O circuito “novo” não é bem assim, chamado como Grande premio Brasil, e o mesmo da versão Looping mais cara apresentado em 1.969, sem as pistas de metal para dar a volta de 360º.

Os mais baratos são os mesmos de sempre.

Imagem

O mais econômico chamado Gávea, segue trazendo os carros chamados pela Estrela de convencionais, este ano o único modelo produzido e o Ford-J.

Transformador segue o mesmo, com o desenho mudado na parte de cima.

Aceleradores, o Estrela-COX já não é oferecido como opção, segue só Estrela-Revell.

Este ano Estrela apresenta um motor novo, dois anos atras estreio um novo Oxford caixa preta com mais potencia que os motores anteriores, este ano ela muda as "janelas" do motor colocando dois círculos por cada lado onde não esta o imã (ante 1 por lado) e o pinta de branco.

Imagem

Coincidência ou não, Mura quando começou a receber os primeiros Mabucchi 16D, foram branco e com 4 círculos, um amigo comprou, eu não gostei, mais compraram, eu preferia o preto de 1.972.

Carros.

Imagem

Eles executam o McLaren-M23, com grande detalhe.

Imagem

Inspirado pelo McLaren-M16 da Indy e parcialmente no Lotus-72, não era um carro tecnicamente avançado, mas muito eficaz na pista, Emerson participou ativamente em "afinar" o M23, entre outras coisas aumentou a distância dos eixos para melhor comportamento.

Emerson não era apenas um piloto magnífico, ele também tinha fama de saber afinar seus carros.

Estrela realizou uma boa reprodução.

Imagem

Simulação de suspensões mais detalhadas, do que em outros produtos da série Fittipaldi.

Imagem

Uma vez mais estrela acude ao para-brisas do Lotus-72D, de 1.972, sendo que em este modelo es bastante parecido com o Lotus, decalques muito completos, eu não acredito que naqueles anos existisse um fabricante de Slot que detalhasse tanto os seus produtos.

Imagem

As Fórmulas da Estrela são carros longos, mas equilibrados na pista, o aerofólio traseiro e bastante horizontal e atrasado, não está no eixo traseiro como nos outros modelos, traseira mais trabalhada do que os modelos anteriores.

Visto desde abaixo.

Imagem

Carroceria igual de longa que o Lotus-72D, o resto e a mesma coisa que os outros.

Decalques.

Imagem

Os restantes Formulas segue tudo igual.

Imagem

Ford-J.

E o único sobrevivente de uma época gloriosa da Estrela, com seu chassis IFC segue sendo um modelo a ter em conta nas corridas.

Imagem

Eles são vendidos apenas em azul e vermelho.

Em esse ano a Estrela patrocina o II Prêmio Nacional Grande Autorama, desde 1.964 que ela não faz um campeonato a nível nacional.

O regulamento.

Imagem

O campeonato foi realizado em oito grandes cidades Brasileiras, no Rio de Janeiro se realizou no bairro de Botafogo, em um local comercial.

Imagem

Foto com Emerson Fittipaldi promovendo o campeonato, com certeza foi tirada em São Paulo, apenas o 1º de cada bateria era classificado, elas duravam 5 minutos e o que marcou mais voltas passou para a próxima rodada em outro dia, as pistas eram de madeira e 8 pistas.

Eu tinha 13 anos e me inscrevi, levei uma Lotus preta e uma vermelha para um parceiro meu no Autorama, ele correu primeiro e não conseguiu classificar, na minha bateria eu estava bastante bem (terceiro) inexplicavelmente a roda traseira direita se soltou e meu "amigo" Reynaldo a colocou de volta, apertando a roda de mal jeito com os nervos que tinha, que o carro andou pouco mais de um metro e parou (primeira e última vez que queimei um motor Oxford), fiquei muito puto. :evil:

Todos os que nos inscrevemos no campeonato ganhávamos uma medalha de lata por participar.

Imagem

essa medalha era a minha, dei de presente uns anos atras a um colecionador que estava doido por ela, muito parecida com outras promoções usadas para o Slot em Estados Unidos, usavam a roda com esse tipo de desenho.

Estrela fez um McLaren-M23, de serie lilitadissima para os seus vendedores e lojas que ofertavam os produtos Autorama-Fittipaldi e conseguiram bons resultados.

Imagem

Eles trouxeram decalques de fábrica e cabeça do piloto em vermelho.

No final de esse ano (1.974), Estrela para comemorar o Bi-Campeonato de Fittipaldi oferece um jantar com um presente presente para uma serie de convidados por ela, o obsequio e um McLaren M-23 totalmente cromado, encima de uma estante de madeira nobre e o autógrafo de Emerson Fittipaldi, tem a característica da cabeça do piloto em vermelho.

Imagem

Só era uma carroceria com os eixos colados com Araldite na carroceria e pneus, em 1.969 a Estrela fez uma coisa parecida para a Scuderia Scorpius, mas com um Lotus-38.


1.975.


Uma vez mais Estrela chama o seu produto de Slot, Autorama-Fittipaldi, e a serie muda de nome, agora é serie Bi-Campeão.

Este ano teremos mais novidades que em anos anteriores, um circuito de 4 pistas, dois carros novos, acelerador novo e um motor também novo.

Imagem

Os irmãos Fittipaldi criam a primeira equipe 100% Brasileira em Formula-1, ademais de ser a primeira equipe de toda America, em fazer um modelo em esta modalidade.

Foto de toda a equipe Fittipaldi, chamada de maneira errada no Brasil, pelo nome "Equipe Copersucar", ninguém chama Ferrari como Team-Vodafone ou Mclaren como Team-Malrboro, a Copersucar foi apenas o patrocinador.

Copersucar Cooperativa fundada em 1959, na década de 70, possui metade da produção de açúcar e etanol do país, hoje é uma empresa privada e a maior produtora de açúcar e etanol do mundo.

O F1 Brasileiro começou a tomar forma no ano 73 ', na foto podemos ver o mecânico e engenheiro japonês Yoshiatzu Itho e o engenheiro autodidata (só fez 2 anos de carreira) e designer Brasileiro, Ricardo Divila (com óculos), foram eles que criaram e tornaram realidade o FD-01.

Ricardo Divila esteve acompanhando os irmãos Fittipaldi muitos anos antes de chegarem a Formula-1,

Imagem

Com design revolucionário na F1, ele era realmente bonito e com umas líneas nunca vistas na categoria rainha do automobilismo em cor prata, pouco ou nada visto essa cor foi usado no grande circo da Formula-1 através da Mercedes na década de 50 '.

A forma original do carro parece ser que veio de um ELF de F2, Itho que trabalhou em Lotus manteve boas relações com Ken Tyrrel e esto ao mesmo tempo com ELF (seu patrocinador), Itho conheceu Divila na Lotus quando trabalhou para Emerson Fittipaldi, carroceria totalmente carenada, contava com o apoio da Embraer para o túnel de vento e maquinaria especializada de alta precisão.

O Fittipaldi (não Copersucar) e um carro 100% Brasileiro, só vinha de fora, os pneus, motor e caixa de marchas, uma curiosidade e que a caixa de direção era de um Chevette Tubarão. :o

A Copersucar patrocina a equipe junto com o apoio do governo Brasileiro, com o general Ernesto Geisel como presidente do regime militar.

A propaganda quer nos fazer acreditar que o carro pertence a todos os Brasileiros.

Imagem

Ele diz que é obra de todo o povo Brasileiro e do grande desenvolvimento tecnológico do Brasil, e que um projeto dessa magnitude é necessário para o pais, também é mencionado que o Brasil será mais respeitado no exterior.

Saindo um pouco do tema de Slot, podemos ver aqui, um claro exemplo de adoutrinamento ideológico de quem esta no poder, sempre ocorreu e sempre ocorrera y mais com um povo que não faz criticas e autocriticas como o povo Brasileiro.

Voltando para o nosso tema.

se estreia GP da Argentina de 1.975, classifica-se no último lugar, timidamente vai começando a andar perto dos tempos dos pilotos que lideram a corrida, infelizmente a alegria dura apenas 13 voltas, um braço da suspensão é quebrado e abandona a pista envolto em chamas, nada ocorre ao único piloto da equipe, Wilson Fittipaldi Jr.

GP Brasil, Team-Fittipaldi estreia um novo carro o FD-02.

Termine a corrida em 13º lugar (é a segunda vez que o Nº-30 esta com a equipe).

Imagem

Bastante mais convencional que o FD-01, os radiadores passam da cauda para os lados da carroceria, a carenagem do motor desaparece pela metade e passa a ter uma entrada de ar convencional para admissão, essas medidas são tomadas porque no G.P. da Argentina problemas de aquecimento foram detectados, asa dianteira (bastante simples) segue a mesma do FD-01.

Estrela lançava os seus produtos, sobre os meses de Abril, e realizou o FD-02 como o seu modelo (foto acima).

Imagem

O modelo e bastante bonito, um amigo meu comprou ele nada mais sair, não gostei da cor cinza apagado que tinha, estava muito distante do prata original.

Os primeiros modelos vendidos avulsos vinham com a base de isopor branco como o da foto acima, a base do modelo da foto de abaixo foi posterior.

Imagem

Bastante bonito e original, seu ponto fraco é o espoiler dianteiro, em fortes batidas quebra as pontas.

Imagem

Posicionamento original do tubo de escape (quebrava fácil).

Imagem

Olhando por debaixo e tudo igual que os anteriores, menos o novo motor.

Decalques.

Imagem

Os decalques, vêm como piloto Emerson Fittipaldi quando ele nunca dirigiu esse carro em um GP, o cero seria o nome de Wilson Fittipaldi Jr.

Um FD-02 da Estrela pintado como o original.

Imagem

Bastante bem pintado, o modelista inexplicavelmente, coloca a cabeça de piloto com um capacete "jet" e deixa de lado os detalhes de motor, radiadores e enxertos nas rodas, podendo ter feito um carro espetacular.

Uma pena que a Estrela não realizou o FD-01.

Imagem

modelo realizado de maneira impecável e espetacular, gostaria de saber o nome do modelista.

McLaren-M23/9.

Imagem

Construído para a temporada de 1.975 e com ideia de defender o titulo de Emerson e McLaren de 1.974, não foi um carro feliz, nem para o piloto nem para a equipe, so conseguiu subir no mas alto do pódio 2 vezes( Argentina e Inglaterra), de todas formas conseguiu o vice campeonato.

Imagem

É o carro que mais gostei da série Fittipaldi lançada pela Estrela em 1972 (tive um).

Basicamente é o mesmo carro que a Estrela lança em 1974, mas com a entrada de ar grande (apresentada pela 1ª vez no GP da Inglaterra nos 74 '), e o aerofólio traseiro muda de posição.

Imagem

Aerofólio é colocado em uma posição mais baixo, ganhando em estética e ficando mais resistente nas batidas.

Imagem

Na foto podemos ver as principais diferenças entre os modelos.

Os demais modelos seguem igual.

Imagem

O McLaren de 1.974 segue sendo ofertado.

Imagem

Motor.

Estrela apresenta um novo motor, ou pelo menos muda o branco pelo cinza metálico, não sei certo si era um pouco mas potente que o anterior, não era do meu agrado.

Imagem

Pintado de prata metálico (a mesma cor que o Fittipaldi), tinha dua janelas redondas, encima e mais duas embaixo, quase ao mesmo tempo começou a comercializar Mabuchi um motor igual mas sem pintar (carcaça cromada), tenho certeza que a propiá Oxford e quem fabricava esses motores.

Aceleradores.

Estrela estreia novos aceleradores para este ano.

Imagem

Com os mesmos cabos desde o início do Autorama eles não são de boa qualidade, olhe para a parte escurecida do corpo de plástico devido às temperaturas atingidas o tacto dele no dedo era muito ruim, os controles Estrela-Revell não são mais oferecidos.

Transformador.

O transformador é o mesmo que nos últimos 11 anos (mais ou menos), ele só muda seu desenho na parte superior.

Imagem

Os grafismos agora vem em vermelho, em homenagem às cores de Marlboro e menciona o Bi-Campeonato.

Os sets.

Imagem

Na verdade e olhando desde uma perspectiva critica, seguíamos sem nada novo desde 1.968, tudo vinha de esse ano, mas misturando e trocando as fotos das caixas.

Esse circuito de quatro pistas nada mais é do que dois circuitos em “8” (Monza) juntos, com curvas de 45º, e perdia a atração principal dos circuitos de quatro pistas que é tomar as curvas com todos os quatro carros ao mesmo tempo.

Imagem

Com o nome de Formula-1- 4 Pistas, parece mal resolvido e com curvas sem acostamento exterior na pate interna das mesmas, parece que não encaixariam bem.

O Brabham não é oferecido em este set set.

O resto dos sets é uma continuação dos anteriores, Formula 1, Interlagos e Gávea.

Imagem

Em este ano os Formulas entram no set do circuito Gávea (antes só GTs), obriga a levar os acostamentos por primeira vez, o Ford-J este ano depois de 8 anos de serviços prestados para o Autorama, se aposenta, deixando uma boa lembrança.

Estrela vem acertando o campeão todos os anos desde 1.972 anos com antecedência, os anos são 72 ', 73', 74 e também acerta os vices em 73 ', 74' e 75 '. :idea:


1.976.

Este ano os aficionados do esporte do motor no Brasil ficão surpreendidos, Emerson Fittipaldi, com uma bagagem de 2 títulos na F1 (1.972 e 1.974) e dois vice na mesma categoria (1.973 e 1.975), entre muitíssimas outras vitorias em diferentes categorias, passa a ser piloto da Equipe Fittipaldi de F1, patrocinada pela Copersucar.

Vivi em aquela época, a equipe Fittipaldi de F1 não tinha uma boa imagem entre os Brasileiros, se conhecia como "tartaruga-Copersucar" e não sei quantas piadas mais, estávamos acostumados com o Emerson a ser os primeiros e a equipe dos irmãos Fittipaldi andava nos últimos da fila.

E uma percepção bastante enganosa, si vamos a um historial de diferentes equipes que começaram andar na F1, veremos que não era tão ruim assim, muito pelo contrario, muitas de essas equipes vinham de países com muita mais tecnologia, conhecimento e acesso a peças especiais, essas mesmas equipes com os anos, foram ou são as melhores passado os anos de aprendizagem.

Copersucar aproveita o empurrão que dará para a equipe a entrada do Emerson.

Imagem

Depois da famosa frase "Brasil ame ou deixe-o", agora temos opte pelo Brasil, ainda que nos queiram fazer ver que Emerson optou pelo Brasil por patriotismo, esta claro que foi um tema econômico, o navio Fittipaldi-Copersucar começava a fazer águas e com a inclusão do grande piloto Brasileiro a equipe seguiria intentando subir ao pódio ou pelo menos estar com os demais na cabeça.

Se especulava muito de que o Emerson iria para a equipe Ferrari, mas com Niki Lauda na equipe, com seu titulo de campeão com a Ferrari em 1.975, e ter que compartir a equipe com ele não era realmente uma boa opção, ele seria o segundo piloto com certeza, Copersucar garantia a continuidade da equipe familiar e garantiria uns bons dividendos a todos.

Voltando para o Auto-Rama Estrela.

Os sets de esse ano sera chamado "Campeões do Mundo".

Imagem

No catálogo de 76 'Fittipaldi posa junto com o FD-04, seu irmão Wilson deixa de ser piloto e passa a ser chefe da equipe.

Um dos conjuntos.

Imagem

Este e o "8" normal, mas todos vem com a foto de Interlagos na caixa.

Novidades.

Estrela modifica o seu chassis de F1, retirando a parte externa do mesmo que era de Alumínio e substitui por Latão.

Imagem

Conheci esse chassis, era uma bosta, o Latão e muito mais pesado que o Alumínio, o carro ganhou peso a troco de nada.

A segunda e ultima novidade da Estrela para esse ano, foi reproduzir o Ferrari-312T, do campeão do mundo de 1.975, Niki Lauda, por isso o nome de "Campeões do Mundo".

Imagem
Imagem

Si vamos ao carro da Estrela, podemos ver algumas diferenças mais que sutis.

Imagem

Me desculpem, esqueci a terceira novidade para esse ano, a cabeça do piloto, não e a mesma que os demais Formulas da Estrela lançados a partir de 1.972.

Imagem

Quando um bom amigo meu comprou ele com muita ilusão e pude velo, não gostei nada, se veia grande e alto, sabia que era um 312T, porque a Estrela afirmava tal coisa, mas não me convencia muito.

Visto desde acima, se vê um pouco diferente o modelo em questão.

Imagem

Como sempre os decalques eram bons e + ou - se ajustavam bem.

Imagem

Desde atras podemos ver os 4 tubos de escape e uma traseira bem solida.

Os que comprarão ele para as corridas caseiras, se deram mal.

Imagem

Era bastante mais pesado que os demais, e quando saia de pista era igual que uma bola de boliche, arrancava tudo o que tinha na frente, o chassis era a principal causa do sobre peso, mas a carroceria também era mais pesada que os demais.

Estrela publicita o seu Fittipaldi-Copersucar como FD-04.

Imagem

Mas não e verdade e o antigo FD-02 lançado por ela no ano anterior.

Os demais formulas seguiram nos sets ou soltos, com a excepção do Lotus-72D vermelho e o McLaren de toma de ar baixa.

Imagem

Partir de 1.976 todos os Formulas da Estrela levarão o chassis mais pesado.

O transformador segue o mesmo, só troca os grafismos.

Imagem


1.977.


Fittipaldi-Copersucar muda o prata elegante por um amarelo alegre.

Imagem

Como no ano anterior a Estrela pega o FD-02 e nos quer fazer ver a evolução do FD-04.

Imagem

Uma pena tal decisão, este ano ela não apresenta modelos novos, e mais 1.976 foi o ultimo ano das novidades da Estrela nos seus modelos de Auto-Rama, se passaram alguns anos ate que ofereceu alguma novidade, e com menos qualidade e realismo de produto.

Imagem

O motor agora vem sem pintar e croma a caixa, com a cabeça do mesmo em Nylon preto.

Imagem

Me imagino que o orçamento que a Estrela tinha para esse ano, foi usado para um "gadget" novo o que não permitiu desenvolver nenhum modelo novo.

Esse "gadget" era uma torre que fazia um ruido que se supõe que era de um Formula-1 de verdade.

Imagem

Penso que foi um erro, os menores com certeza tiveram que ter gostado muito, mas os maiores ficamos decepcionados.

Os decalques do Fittipaldi-Copersucar também mudam.

Imagem

O resto de modelos seguem iguais, o Fittipaldi-Copersucar em cinza desaparece do catalogo.

Imagem
Imagem

Em verdade as fotos acima são do catalogo de 1.978, mas e tudo a mesma coisa que 1.977.

Só me interessei na historia do Auto-Rama Estrela ate 1.976, porque penso que foi o ultimo ano onde realmente a Estrela esteve bastante comprometida com o Slot, quis colocar o ano de 1.977, para que vissem o declínio dos produtos de Slot por ela oferecida.

Imagem

Na foto acima podemos ver os Formulas da Estrela, faltam, o Lotus-72D vermelho, o McLaren de toma de ar baixa e o Fittipaldi-Copersucar FD02 cinza, não são carros de escala 1/32 como anuncia a Estrela e sim mais perto de 1/24, mas não deixa de ser interessante uma coleção de todos eles pelo bonitos, exóticos e bem feitos na maioria dos casos e exclusividade em outros casos.

Imagem
Editado pela última vez por Johnny Rook em 01 Set 2019 22:53, em um total de 16 vezes.

guto3sd
Mensagens: 349
Registrado em: 07 Mar 2013 08:23
Contato:

Re: Historia do Autorama Estrela 1.963 a 1.977.

Mensagem por guto3sd »

Olá Corredores....

Que bom pela continuação. Estava pensando esses dias sobre os carros da stoc car, poderiam ter sido feitos
com um pouco mais de detalhes. Aqueles chassis estão bem fracos. Mas assim mesmo da vontade de ter um pra conhecer.

Abraço a todos e boas corridas...
Guto Guedes
Designer 3D Rio Preto _SP
www.facebook.com/3D3sdesign
Imagem

Rui
Mensagens: 21
Registrado em: 16 Dez 2017 23:27

Re: Historia do Autorama Estrela 1.963 a 1.977.

Mensagem por Rui »

Jony meu irmão!! Ainda não parei pra ler tudo isso...mas sério cara...nunca vi nada igual!! Eu sou fã número 1 do Autorama Estrela! Que coisa fantástica tudo isso!. Estou pensando até em arquivar esse texto todo com todas essas imagens. Daqui a pouco dá um problema aí nos servidores do fórum e lá se vai essa enciclopédia. Tu é fera man! Abraços!

Avatar do usuário
Johnny Rook
Mensagens: 39
Registrado em: 22 Jul 2019 20:37

Re: Historia do Autorama Estrela 1.963 a 1.977.

Mensagem por Johnny Rook »

Rui escreveu:Jony meu irmão!! Ainda não parei pra ler tudo isso...mas sério cara...nunca vi nada igual!! Eu sou fã número 1 do Autorama Estrela! Que coisa fantástica tudo isso!. Estou pensando até em arquivar esse texto todo com todas essas imagens. Daqui a pouco dá um problema aí nos servidores do fórum e lá se vai essa enciclopédia. Tu é fera man! Abraços!
Muito obrigado pela força dada irmão, com que tenha uma pessoa interessada já merece a pena o trabalho.

Muitas coisas escritas aqui e o resultado de minha experiencia com o Autorama, das minhas pesquisas e também das ajudas com aportações de outros aficionados pelo Autorama Estrela, eles são a espinha dorsal de esta historia, se não fosse pela suas generosidades eu não saberia tudo isso, aprendi muito com eles.

A ideia e compartir o que sabemos, assim poderemos restaurar o manter os modelos melhor, saber comprar e valorizar uma peça 100% original e diferenciar das que não são.

Eu acho Rui que quando termine esta historia talvez tenha um par de surpresas mais para vocês. ;)

Imagem :lol:

Avatar do usuário
Johnny Rook
Mensagens: 39
Registrado em: 22 Jul 2019 20:37

Re: Historia do Autorama Estrela 1.963 a 1.977 (terminado).

Mensagem por Johnny Rook »

Demorei mas terminei. 8-)

Estive um pouco enrolado com o trabalho, ademais estava dando um impulso bastante grande a outro hobby que tenho e o tempo para terminar era um pouco reduzido, mas não deixei de entrar, corrigi muitas coisas, escrevi encima do que já estava escrito, coloquei fotos novas, estive trabalhando sobre ele, penso que ficou muito bom, não acredito que exista nenhum lugar do mundo que alguém tenha colocado a historia do Auto-Rama Estrela tão completa e precisa, pode ser uma boa guia para colecionadores o pelo menos para quem que começar a fazer uma coleção dos maravilhosos modelos da Estrela.

Esta claro que toda essa informação foi tirada de catálogos da Estrela, mas também desde muitos aficionados do Slot em geral e do Auto-Rama Estrela em particular, pessoas como Beni, Jose (Pechuga), Pedro aportaram muita luz sobre o tema, webs como PasionSlot, a extinta Manoloautorama, SlotForum, SlotBlog, Brinquedos Raros e muitas que não sou capaz de lembrar em este momento aportaram e inclusive esclareceram duvidas ou certezas (que eram erros)m sobre este tema do Slot no Brasil.

Sou consciente que pode existir mais de um erro, agradeceria muito que foce corrigido, por tanto qualquer aportação sera agradecida e bem vinda, por deixar o tema do Auto-Rama estrela o mais exacto possível.

Avatar do usuário
JEPDANTAS
Mensagens: 714
Registrado em: 29 Jan 2012 21:57
Localização: Manaus - Amazonas

Re: Historia do Autorama Estrela 1.963 a 1.977 (terminado).

Mensagem por JEPDANTAS »

Realmente um tópico sensacional, muito bom mesmo.
Parabéns Johnny!
ImagemImagem

Responder