Como eu preparava meu Estrelinha fórmula 1 nós anos 70

synval
Mensagens: 1
Registrado em: 16 Out 2020 14:28

Como eu preparava meu Estrelinha fórmula 1 nós anos 70

Mensagem por synval »

Olá amigos, meu nome é SYNVAL.
Sou Paulista da capital, nascido em 1963, porém morando em Minas Gerais desde 1980, portanto sou mais mineiro do que paulista. Ganhei meu primeiro autorama Estrela em 1969. Para meu irmão a Lola vermelha, e para mim o Puma branco. Foi o melhor presente de minha infância.
Como todo menino de cidade grande, além da Escola, alguns hobbies eram obrigatórios, e no meu caso, não foi diferente... Modelos de montar Revel, futebol de botão feitos cuidadosamente a mão, bicicleta e MUITO AUTORAMA. Minha pré adolescencia passei enfiado na pista do Ibirapuera e da Sebring (o ar condicionado da Sebring deixava um cheiro no ambiente que nunca mais senti em lugar nenhum!). Comecei a visitar com meu pai a pista do Ibirapuera em 72/73 mas só para olhar e babar... Na época meu pai não deixava levar carrinhos pra correr lá porque só haviam marmanjos na pista que brigavam e discutiam entre si o tempo todo...
Mas o grande dia chegou e na véspera, de posse de uma cartela novinha de decalques, enfeitei o velho Puminha branco dentre os mais de 10 carrinhos Estrela que havia ganhado com o tempo, levando também a minha magnífica e maravilhosa Tyrrell azul e minha Lotus vermelha Gold Leaf, todos cuidadosamente enrrolados em flanela e acondicionados numa caixa azul de tênis Makerli... A ansiedade foi tanta que consegui plugar o acelerador invertendo os contatos, fazendo a fumaça subir de imediato... Fim da linha, revolta por ser burro e muito p.. comigo mesmo! Sai calado com o olho cheio d'agua e com meu pai rindo da minha bobeira... Dali pra frente fui conhecendo outros tipos de carros, as bolhas, os pneus, o Glubs que era proibido no Ibirapuera mas liberado na Sebring, a loja Paraiso perto do Arquidiocesano, os Mabuchi, os chassis de 1/24 cheios de caídas e os Muras, que foram vários... Comecei com os grupo 12 mais baratos, depois os 7 os 21os Green, yellow e o indomável Cheeta. Era uma busca e uma luta para conseguir montar um carro cada vez melhor e diferente pra correr, e se não desse certo, fazíamos o chamado ROLO (Troca/permuta) com outros conhecidos que frequentavam as pistas... Mesmo com toda aquela evolução, os Estrelinhas Fórmula 1 eram a paixão maior e o objetivo era tirar suco do carrinho com uma preparação minuciosa e demorada que poucos ensinavam e que só se aprendia sendo muito curioso e fazendo na marra. Escolher um motor novo ouvindo o barulho do giro era obrigatório ! Balancear o induzido levava uma semana, e ajustar a pressão das molas era uma arte! A entrada de ventilação da caixa do motor era aberta no limite dos dois lados. O coletor era retificado e polido. Polir os eixos trazeiro e dianteiro deixando-o espelhados mas sem desgastá-los para girar mais solto era obrigatório. Rebaixar a carroceria internamente e comer na lixa o bico e as torres de fixação dianteira aos poucos também demorava muito. Pneus dianteiros também eram rebaixados milimetricamente para encostarem na pista de "leve" apenas. Os cubos das rodas ganhavam 4 furos para aliviar o peso e também pra ficar mais bonito(essa fui eu que inventei usando uma furadeira manual). E o grande macete que era deixar a carroceria solta sem fixar com os parafusos atrás, o que dava ao carrinho uma "caída" na traseira, artifício que melhorava o comportamento do foguetinho na sequência de lombadas, evitando em 80% a decolagem/salto...
Um estrelinha bem acertado andava junto ou até mais um pouco que os Mabuchi e chamava a atenção de todo mundo dentro e fora da pista. O segredo era a estabilidade que mantinha o carrinho agarrado na pista por ser bem baixinho...
Tudo isso acabou pra mim qdo vim para MG em 1980. A mais de 40 anos que não vejo nada de Autorama. De tudo que tive, só minha caixa de lata restou em algum canto de meus guardados... Hoje conheci esta página e minhas recordações brotaram! Vou acompanhar daqui pra frente.
Gde abraço na a todos.
Synval

Responder